01 de dezembro de 2020 Atualizado 22:19

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Opção na Área Azul

Por Redação

29 out 2020 às 09:00

Implantada em 2019 pela prefeitura, a Área Azul em Americana nunca foi motivo de grandes elogios. Se por um lado ajudou a dar rotatividade ao estacionamento de vagas na região central, por outro, foi criticada por, em tese, desestimular a ida até locais como o tradicional calçadão comercial – o que, consequentemente, traz prejuízos para os comerciantes.

A expansão do sistema também não agradou a população. Antes, a Área Azul compreendia cerca de 600 vagas, localizadas principalmente no Centro, onde a movimentação e a dificuldade de estacionar eram bem maiores. Com o novo contrato, firmado com a empresa Estapar, a área cobrada foi aumentada para 2 mil vagas, o que acabou atingindo bairros adjacentes e ruas que nunca haviam tido a obrigação de pagamento.

Durante a implantação, outros problemas se acumularam e foram alvos de debate intensos, como a questão da setorização e o limite de tempo para estacionamento, assim como as possibilidades de regularização. Esta última situação, finalmente, foi resolvida a partir de um decreto do governo municipal publicado nesta terça-feira.

Conforme o LIBERAL explicou, agora é possível ao motorista acertar o pagamento do estacionamento mesmo após a utilização. O acerto pode ser feito, inicialmente, num prazo de duas horas, por R$ 5. Já para os que não conseguirem regularizar no mesmo dia, será possível pagar R$ 10 até as 18 horas do dia seguinte para não ser multado – no caso, uma multa considerada grave, no valor de R$ 195,23.

É preciso que o usuário esteja atento que não haverá nenhuma forma de aviso ou alerta por parte da Estapar para a regularização. A iniciativa deverá partir do próprio motorista.

A alternativa era uma carência do sistema que, felizmente, aos poucos, parece se ajeitar pelo menos no que tange a sua operação. Nada que não possa mudar, porém, com um novo governo.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.