07 de julho de 2022 Atualizado 12:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Artigos de leitores

O que move a humanidade

Por Rubens Zaoral

24 de maio de 2022, às 12h01

O Poder. Desde o início da humanidade, homens por força bruta ou mental, assumiram o poder/liderança de grupos. Não satisfeitos, procuraram expandir seu poder por grupos maiores, ou nações. Surgiram os chefes tribais, governadores, reis, imperadores, czares, ditadores, muitos até alegando que foram escolhidos de Deus (es) aqui na Terra.

A maioria destes homens levaram seu povo ao caos, morte e destruição, alegando os mais variados motivos, mas sempre buscando manter seu poder. Putin é o exemplo atual. Todavia aparecem de tempos em tempos, outros homens que não almejam o poder simplesmente pelo poder, ousaram enfrentar o sistema, quebraram status quo, lutando por maior igualdade e fraternidade entre todos: Simón Bolívar, Tiradentes são alguns deles, e no maior exemplo, Jesus Cristo.

A Fé. Desde o início dos tempos, o homem, à busca de respostas para “d’onde vim para onde vou”, tem depositado as suas esperanças nos mais variados objetos de fé. No único Deus dos judeus, cristãos e mulçumanos e do patriarca Abraão; em tantos outros deuses: Odin, Trovão, Buda, Sheeva, etc.; e até em animais “sagrados”, ou objetos inanimados. Para tanto se criaram milhares de religiões.

O Sexo. Podemos chamá-lo de amor, paixão, ilusão, lascívia etc… A História está cheia de exemplos de voltas e reviravoltas por causa de “um rabo de saia”. Sansão e Dalila, Davi e Betsebá, Salomâo e Rainha de Sabá, Marco Antônio e Cleópatra, etc.. No meu tempo as divas do rádio se destacavam pela qualidade da voz e canções. Atualmente assistimos “cantoras” fazendo sucesso na mídia por causa de forte apelo sexual.

Partindo-se dos ensinamentos bíblicos, fomos criados à imagem e semelhança do criador, que provavelmente nos inseriu sua personalidade para tais características humanas, ou permitiu que o anjo Lúcifer, que ousou questionar o poder supremo do criador, nos inserisse, ou influenciasse nossas escolhas.

Rubens Zaoral é aposentado.

Colaboração

Artigos de opinião enviados pelos leitores do LIBERAL. Para colaborar, envie os textos para o e-mail opiniao@liberal.com.br.