26 de fevereiro de 2021 Atualizado 12:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Menos crimes

Por Redação

27 jan 2021 às 08:26

O ano da pandemia trouxe com ele mudanças drásticas na rotina. Em 2020, as restrições à circulação na quarentena levaram a um comportamento diferente da violência. A partir de dados oficiais do governo estadual, reportagem do LIBERAL publicada nesta edição traz um balanço das estatísticas referentes a crimes cometidos na região.

Como destaque, tem-se o resultado positivo na ocorrência de furtos de veículos em Americana. A cidade é uma das piores no Estado quanto à taxa de crimes pelo tamanho da frota. Desde 2009, o município registrava ao menos mil furtos registrados por ano. A partir de 2011, os índices começaram a cair, com pequenas altas de um ano para o outro. Entre 2018 e 2019, houve uma redução significativa, mas que ainda colocava a cidade em um alto patamar de crimes. Em 2020, o número finalmente baixou da casa dos mil, algo que, na série histórica da SSP, só ocorreu em 2002, 2003 e 2008.

Considerado um crime grave, por envolver ameaça ou violência à vítima, o roubo também despencou nos municípios da região. Em Americana, a queda foi de 605, em 2019, para 377 casos, em 2020. Para se ter noção do tamanho da redução, de 2002 a 2019, a cidade registrou, em média, 840 assaltos. Já em relação ao número de homicídios, a alta mais sentida ficou por conta de cidades como Sumaré e Hortolândia, cujos índices despencaram nos últimos anos, mas cresceram em 2020.

A explicação para a redução nos indicadores criminais passa, sim, pelo cenário imposto pela pandemia, que alterou o cotidiano dos municípios, mas também tem grande ligação com o trabalho policial, que, em um ano, em tese, mais seguro, pode se dedicar a formas mais efetivas de patrulhamento e investigações. Resta saber se, diante de um retorno da normalidade – espera-se que em breve –, haverá uma nova sensação de segurança reinando pela comunidade.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.