23 de abril de 2021 Atualizado 07:42

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Menos armas

Por Redação

10 jan 2021 às 08:45 • Última atualização 10 jan 2021 às 08:46

Os índices criminais da região que dizem respeito às ocorrências registradas em 2020 ainda não foram totalmente divulgados pela Secretaria Estadual da Segurança Pública, mas a tendência de queda nos principais indicadores deverá ser confirmada, principalmente por conta do ano atípico, de restrições de circulação e ameaça sanitária, mas também pelo trabalho policial, de prevenção e investigação criminal.

Diante de estatísticas que mostram um baixo número de delitos como roubos, latrocínios e homicídios, é de se esperar que a sensação de segurança ganhe espaço e percepção junto à população. Não que isso deva afrouxar totalmente a maneira de como se prevenir os crimes por parte dos cidadãos ou do poder público, seja os mais graves ou os pequenos furtos, mas o temor de que, em qualquer rua, pode haver a iminência de um ataque criminoso, um assalto ou uma agressão, torna-se consideravelmente menor.

Um número revelado pelo LIBERAL nesta edição pode ser um indício das transformações da segurança pública na região. Mesmo incentivado pela política armamentista do presidente Bolsonaro, não houve, em 2020, um aumento no número de registros de armas de fogo. Pelo contrário. Dados da Polícia Federal apontam para uma queda considerável nas emissões de registros de posse.

Discutível, mas com mais pontos contrários do que a favor, o armamento da população é quase sempre um reflexo da cultura ou da segurança de determinadas localidades. Por aqui, o primeiro aspecto tem pouca relevância. O segundo, portanto, poderia ser explicação para o menor interesse em ter uma arma de fogo dentro de casa, ainda que há de se considerar a burocracia e os custos.

Espera-se que tais números continuem em queda e que armas sejam restritas aos responsáveis pela segurança e pelos que saibam mantê-la.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.