29 de julho de 2021 Atualizado 09:00

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Papo Fermentado

Mas afinal… a Puro Malte é melhor?

Com a popularização deste tipo de cerveja, essa se tornou uma das perguntas que o Papo Fermentado mais tem recebido nos últimos tempos

Por Papo Fermentado

25 mar 2021 às 11:20

Você é do time que prefere “Puro Malte” ou tanto faz desde que a cerveja seja boa? Cada vez mais temos encontrado amigos que nos perguntam se a cerveja Puro Malte realmente é melhor, o que significa, o que as diferenciam das outras e, por isso, decidimos esclarecer esse termo e te auxiliar nas decisões de consumo. Vamos ao texto e vamos por partes, rs.

E aí, a cerveja Puro Malte é melhor? Vem com a gente! – Foto: Divulgação

Primeiro, o que é Malte?

É o resultado do grão após o processo de malteação. Esse processo tem como objetivo deixar o açúcar mais disponível para as leveduras que vão transformá-lo em álcool, gás carbônico e outros subprodutos no final do processo. Vamos tomar como exemplo o principal cereal para fazer cerveja, a cevada: o grão é submergido em água, germinado e essa germinação é interrompida com a secagem e torrefação do grão. Temos então malte com tons mais claros, mais escuros, notas defumadas e até acidificadas, ele confere cor, sabor, aroma, corpo, teor alcoólico e contribui para a espuma.

O que quer dizer Puro Malte?

Que a receita utiliza 100% de malte de cevada, além de água, lúpulo e levedura. Não leva outras fontes de açúcares, outros tipos de cereais, nem frutas, especiarias e demais itens.

O que a legislação brasileira permite?

Permite no máximo 45% de cevada não maltada na composição e também de outros cereais como aveia, trigo, centeio, arroz, milho… e máximo de 25% em uso de mel, cana e outras fontes de açúcar.

Por que utilizar adjuntos e outros cereais sem ser a cevada?

Muitas cervejarias utilizam outros cereais como milho e arroz para reduzir os custos da produção, mas a finalidade do uso desses e outros cereais não é apenas isso. O milho e o arroz deixam a cerveja mais leve, com maior drinkability… Aveia e centeio conferem mais complexidade, corpo, picância, nuances de cores… O trigo deixa o corpo mais aveludado e com sabor característico.

Afinal de contas, a Puro Malte é melhor?

Depende! Não são apenas os ingredientes que conferem qualidade à cerveja, mas também todo o processo produtivo. Uma receita pode conter apenas malte de cevada, não ter nenhuma adição de frutas e especiarias e ser uma cerveja “pouco arredondada”, que não teve os insumos armazenados corretamente para evitar contaminação, que não fermentou e maturou na quantidade de dias esperados, que não teve equipamentos bem sanitizados, entre outros fatores…

Por outro lado, existem cervejas maravilhosas que contém adjuntos, seja na utilização de outros grãos ou na adição de frutas ou de especiarias ou de lactose ou de madeira ou de todos eles juntos.

Os insumos serem bem estudados, escolhidos e armazenados, os processos analisados, a fermentação acontecer de forma completa, higienização da fábrica e outros fatores são determinantes para uma cerveja de altíssima qualidade.

A Gouden Carolus Classic e a Leffe Blond, por exemplo, levam milho na receita e nem por isso deixam de ser consideradas ótimas cervejas.

Em resumo, a Puro Malte não tem mais qualidade do que as que usam cereais não maltados ou adjuntos.

Então, nem toda cerveja artesanal é Puro Malte?

Isso mesmo. A criatividade e experiência do mestre cervejeiro é fundamental para a elaboração de cervejas inusitadas e deliciosas.

Quais cervejas Puro Malte temos hoje à venda no mercado brasileiro?

Spaten, Becks, Serra Malte, Eisenbahn Pilsen, Cacilds, Bohemia, Bavária Premium, Heineken, Skol Puro Malte, Brahma Duplo Malte, Stella Artois, Skol Hops, Petra, entre outras…

O que queremos dizer a você através dessas perguntas e respostas é para escolher sua cerveja de acordo com o seu gosto pessoal. Há cervejas com mosto de vinho, com adição de café, chocolate, framboesa, coentro…

Gostar ou não é pessoal e alguns preferem as mais “tradicionais” e outros são apaixonados pelas invenções.  Assim como uma Puro Malte bem feita é extremamente satisfatória, agradável ao paladar e querida por muitos. O segredo é degustar sem “pré conceitos” e entender o que de fato o termo quer dizer e quais os pontos positivos e negativos. E degustar… Ah… degustar é bom demais, não é mesmo?

Papo Fermentado

Blog do casal Fernanda Brito e Bruno Martinelli, sommeliers de cerveja pelo Instituto da Cerveja Brasil. Amamos contar nossas experiências gastronômicas, a história que envolve a linha do tempo da cerveja e dicas para quem quer se aventurar nesse universo. Fale com a gente pelo ola@papofermentado.com.br ou WhatsApp (16) 99339-1221. Nas redes sociais, somos o @papofermentado.