26 de fevereiro de 2021 Atualizado 12:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Impasses no ensino

Por Redação

26 jan 2021 às 07:31

A instabilidade no cenário da pandemia continua deixando sob uma série de incertezas um setor dos mais afetados nesta crise: a educação. Fora das salas há quase um ano, estudantes e, por consequência, os próprios pais, se veem em meio a discussões e impasses em todas as esferas onde há o poder de decisão, sobre o retorno e o formato de aulas presenciais.

O impasse começa entre as próprias autoridades. Na semana passada, o LIBERAL chegou a noticiar que havia consenso entre prefeitos da região que o retorno ao ensino presencial nas escolas municipais não se daria antes de março. A indicação seria feita ao governo estadual, que previu a volta na rede estadual para fevereiro. Dias depois, Santa Bárbara d’Oeste, que esteve presente na reunião, recuou e manteve a retomada em fevereiro.

Ainda na semana passada, o próprio calendário do governo do Estado foi alterado. Na sexta, o governador João Doria anunciou que o retorno às aulas presenciais se daria uma semana depois – foi atrasado de 1º de fevereiro para 8 de fevereiro. O motivo é justamente a piora na pandemia, que viu o número de casos e mortes e a ocupação de UTIs regredir.

Em Americana, o LIBERAL mostrou no último domingo que a prefeitura optou por manter a expectativa de retorno do ensino municipal presencial apenas em março, e seguiu as recomendações do Estado quanto ao retorno em fevereiro de aulas nas escolas particulares. Nestas, por sinal, o debate entre pais e dirigentes escolares tem sido acalorado.

Ainda que haja decisões colocadas na mesa, há o risco de que novas medidas possam desfazer todo o planejamento até então. É preciso que as escolas, pais e alunos estejam preparados para o que a pandemia ainda pode reservar à comunidade. De qualquer forma, fica cada vez mais evidente que 2021 não deverá ser um ano normal para o ensino outra vez.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.