19 de abril de 2021 Atualizado 17:07

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Estúdio 52

Série documental ‘Nosso Planeta’ traz grandiosidade e beleza à Netflix

"Nosso Planeta" deixa claro as consequências dos impactos humanos e naturais para o futuro do planeta, e como é possível ajudar

Por Maíra Torres

07 mar 2021 às 08:28

Lançado em abril de 2019 na plataforma de streaming Netflix, a série “Nosso Planeta” é um prato cheio para quem gosta de documentários sobre vida selvagem e meio ambiente. E até para quem não gosta.

A obra fala sobre o equilíbrio do planeta e como as mudanças climáticas desencadeiam consequências muitas vezes desastrosas. Como não poderia deixar de ser, o espectador vê cenas inéditas de animais raros e eventos climáticos que acontecem uma vez a cada década.

Uma prova disso é um dos camera-men, que esperou por 8 meses até conseguir três minutos de filmagem do raríssimo tigre da sibéria.

Cenas da viagem de milhares de flamingos-pequenos para encontrar um lugar com as condições ideais para procriar. Filmagens feitas a um quilômetro de profundidade no oceano de peixes regalecos, que têm 10 metros de extensão e escamas que brilham. São somente dois dos exemplos da grandiosidade do que está por vir da série.

Cada cena é uma obra de arte. O ineditismo estético para o tema é um dos pontos altos da produção de Alastair Fothergill (Planeta Terra: O futuro). A qualidade das filmagens extrapola a resolução em 4k e inova nos ângulos e na proximidade com os animais.

Muitas vezes a produção se arriscou e chegou literalmente perto – Foto: Netflix – Divulgação

“Nosso Planeta” mostra cenas mais lindas, exuberantes, tocantes e às vezes, tristes, como a conhecida “Cena da Morsa” logo no segundo episódio, que chocou o público e mobilizou discussões na internet. E que, diga-se de passagem, me fez chorar e perguntar por vários minutos o que estou fazendo com a minha vida.

O conjunto de oito episódios, que têm cerca de 50 minutos, levou quatro anos de produção e foi rodado em 60 países, com 6.600 voos de drone, 911 dias no mar, duas mil horas de mergulho e 400 mil horas monitorando armadilhas de câmeras para flagrar os animais em cenas do cotidiano. Foram nove anos anos produzindo a maior obra prima “natural” da Netflix.

Famosa e polêmica cena da morsa é o momento mais tenso e triste da série – Foto: Netflix – Divulgação

Tudo isso feito com a colaboração de 600 profissionais divididos em 3.375 dias de filmagem. A narração é feita pelo aclamado naturalista David Attenborough, de 93 anos, a voz clássica dos programas de história natural da BBC dos últimos 57 anos e também de “Planeta Terra”.

“Nosso Planeta” pode ser a maior produção de documentário animal já feita. Para alguém que cresceu assistindo sobre baleias e hienas no saudoso Animal Planet de 2005, e é entusiasta de todo programa que envolve animais selvagens, é a produção audiovisual mais bela, colossal e assertiva. Um olhar para o passado que chama a atenção para o presente e permite reflexões sobre o futuro.

Holofotes_5,0 – Foto:

Nota: 5.0 de 5.0

Maíra Torres

Repórter do Liberal, produtora do Gold Morning e apresentadora do Resumo Gold na FM Gold. Entusiasta de animações desde que aprendeu a abrir os olhos e otaku recém-nascida. A doida que assiste três filmes seguidos no cinema.

Estúdio 52

Quer saber sobre aquela série que está bombando na internet? Sim, temos. Ou aquele jogo que a loja do seu console vai disponibilizar de graça? Ok. Curte o trivial e precisa dos lançamentos do cinema? Sem problema, é só chegar.