18 de abril de 2021 Atualizado 18:42

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Estúdio 52

Episódio indica qual será a participação de Zemo em ‘Falcão e o Soldado Invernal’

Vilão em “Capitão América: Guerra Civil”, personagem poderá vestir o manto de anti-herói na série disponibilizada pela Disney+

Por Rodrigo Alonso

26 mar 2021 às 17:00

Lembra de Zemo (Daniel Brühl), o vilão de “Capitão América: Guerra Civil (2016)”? Os trailers de “Falcão e o Soldado Invernal” já tinham mostrado que ele estaria de volta na série da Disney+, mas não deixaram claro qual seria seu papel.

Agora, no entanto, já temos algumas dicas. Disponibilizado nesta sexta-feira (26), o segundo episódio do seriado dá indícios de que Zemo, além de ser contra super-heróis, também poderá vestir o manto de anti-herói.

Em “Capitão América: Guerra Civil”, o personagem cria um racha entre os Vingadores e mata supersoldados que estavam adormecidos. Sua motivação é, simplesmente, odiar os super-heróis, os quais ele responsabiliza pela morte de sua família. Zemo quer o fim deles.

E é justamente por isso que ele deve ser um anti-herói em “Falcão e o Soldado Invernal”, independente se olharmos para o significado da palavra ou se a analisarmos ao pé da letra.

Para quem não sabe, “anti-herói” não significa uma pessoa que é contra heróis, mas, sim, um personagem que foge de uma definição concreta. Por vezes, pode ser herói. Por outras, pode ser vilão. Depende muito da sua interpretação sobre os atos dele – a partir daqui, cuidado com spoilers.

No segundo episódio de “Falcão e o Soldado Invernal”, os dois protagonistas chegam à conclusão de que alguns membros da organização rebelde Apátridas – pelo menos oito – são supersoldados assim como Steve Rogers (Chris Evans) e Bucky Barnes (Sebastian Stan).

Zemo pode ser um aliado contra os supersoldados dos Apátridas – Foto: Divulgação / Marvel Studios

Isso, porém, só seria possível com a ajuda de um soro que, em tese, estaria “fora do mercado” há décadas. E os últimos supersoldados criados teriam sido mortos por Zemo em “Capitão América: Guerra Civil”.

A aparição de novos aprimorados, então, vai contra os objetivos do personagem. Na verdade, torna praticamente inútil tudo que ele fez no terceiro filme focado em Steve Rogers.

Bucky e Sam Wilson (Anthony Mackie), inclusive, falam em ir atrás de Zemo, que está preso, para buscar mais informações sobre o surgimento desses supersoldados. Tudo isso abre a possibilidade de os três trabalharem juntos contra os Apátridas.

Em um dos trailers, inclusive, Zemo fala em terminar o seu trabalho. “Super-heróis não podem continuar existindo. Não tenho a intenção de deixar o meu trabalho inacabado”, disse.

A primeira impressão foi que ele tivesse se referido ao seu plano para acabar com os Vingadores. Mas talvez Zemo tenha falado, na verdade, sobre os supersoldados, pelo menos é isso que fica subtendido no segundo episódio.

Pancadaria
O certo é que, apesar de não reconhecerem isso, Bucky e Sam necessitam de reforços. Nesse último capítulo, o Soldado Invernal e o Falcão entraram em conflito com os Apátridas, mas levaram a pior. Inclusive, precisaram da ajuda de John Walker (Wyatt Russell), o novo Capitão América, para saírem vivos dessa batalha.

Descoordenados e sem nenhuma simpatia um pelo outro, Bucky e Sam protagonizaram seus melhores momentos quando não estavam lutando. Os dois não se dão muito bem e usam piadas para tirarem sarro um do outro.

Produção precisa tomar mais cuidado para não criar situações forçadas – Foto: Divulgação / Disney

A série só precisa tomar mais cuidado para não criar situações forçadas, como aconteceu na cena em que os dois foram examinados juntos por uma terapeuta.

Um ponto positivo de “Falcão e o Soldado Invernal” é o fato de dar continuidade aos eventos dos filmes do Capitão América. Situações relacionadas aos longas são revividas e até aprofundadas na série.

Aliás, cinco anos após o lançamento de “Guerra Civil”, o seriado aborda pela primeira vez o que aconteceu com a agente Sharon Carter (Emily Vancamp) depois de ter sido cúmplice dos “crimes” cometidos por Steve e companhia.

Essa e outras histórias que, até então, estavam em ‘standy by’ podem dar o tom da série e, quem sabe, fechar de vez o ciclo do Capitão América no MCU (Universo Cinematográfico Marvel). Só esperamos que isso seja feito com chave de ouro – ou de Vibranium, do jeito que acharem melhor.

Rodrigo Alonso

Repórter do LIBERAL, está no grupo desde 2017. É “fifeiro” desde criança e, se puder, passa horas falando de filme e série, então nada melhor do que unir o útil ao agradável.

Estúdio 52

Quer saber sobre aquela série que está bombando na internet? Sim, temos. Ou aquele jogo que a loja do seu console vai disponibilizar de graça? Ok. Curte o trivial e precisa dos lançamentos do cinema? Sem problema, é só chegar.