19 de abril de 2021 Atualizado 22:39

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Estúdio 52

‘Cidade Invisível’ mescla trama policial com fantasia

Resgatando personagens do folclore nacional, série alcançou o topo dos mais vistos no Brasil e em diversos outros países

Por Luciano Bianco

25 fev 2021 às 16:13 • Última atualização 25 fev 2021 às 16:34

Dirigida por Carlos Saldanha (“A Era do Gelo” e “Rio”), a série nacional “Cidade Invisível” vem despertando o interesse do público com seu belo enredo, suspense, reviravoltas e personagens incríveis. Claro que, com toda a extensão do território brasileiro e várias influências de outros povos, há um vasto repertório de tradições, folclore e cultura que, nas mãos de Saldanha, é um prato cheio para prender o público frente à TV.

Série estreou recentemente no Netflix e já alcançou o topo das mais assistidas na plataforma – Foto: Reprodução

Recém-lançada na Netflix, a série traz aquele saudosismo ao explorar personagens tão enraizados em pessoas que cresceram com o “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, como a Cuca (Alessandra Negrini) e o Saci Pererê (Wesley Guimarães), mas também traz outros personagens pouco conhecidos, como Corpo-Seco e Tutu de Marambá (Jimmy London).

Essa mescla entre personagens conhecidos e desconhecidos, abre o leque de inúmeras possibilidades ao longo da temporada e desperta ainda mais a curiosidade de quem assiste. Passa a ser inevitável para o espectador tentar descobrir qual personagem cada ator representa na série, sendo que nem todos eles são entidades, mas a curiosidade existe e te faz prestar atenção nos detalhes para tentar resgatar, no imaginário, de que lenda estão se referindo.

Traçando aos poucos o perfil e caraterísticas das entidades, que na série se adaptaram a viver entre os humanos ao longo dos anos na grande cidade, a série tem potencial para uma segunda temporada e, não por acaso, alcançou o topo dos mais vistos no Brasil, Estados Unidos e já figura entre os primeiros em mais de 40 outros países.

Enredo

A série narra a história de Eric (Marco Pigossi), um policial ambiental que acaba se envolvendo em uma investigação nada comum após sua esposa, Gabriela (Julia Konrad), morrer em um incêndio na pacata Vila Toré.

Apesar do clichê thriller policial, onde o personagem principal está todo focado em sua carreira, deixando a vida familiar em segundo plano (esse é um dos motivos para ele não estar com a esposa e a filha no momento do incêndio), a trama conta com muitas reviravoltas, sendo a primeira delas quando Eric, recém-viúvo e ainda inconformado com a morte da esposa, decide retornar ao trabalho e logo de cara encontra um boto cor-de-rosa morto no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro.

É nesse momento que a vida do policial dá mais uma virada e ele tem o primeiro contato com uma entidade. O primeiro de vários, uma vez que, enquanto ele tenta achar uma justificativa para a morte da mulher e para tudo que está acontecendo à sua volta, passa a ser visto como uma ameaça para as entidades, em especial Inês, a bruxa que na verdade é a Cuca. Mesmo temida entre as entidades, a série a coloca como uma personagem protetora, que não busca fazer o mal a ninguém, desde que não mexam com ela ou com as demais entidades que estão sob sua proteção.

Fugindo da possibilidade de spoilers, é possível afirmar que a trama apresenta e descarta possibilidades com muita facilidade. Quando você pensa que já entendeu tudo, quem são os bonzinhos e malvados, surge sempre uma nova informação que derruba a teoria.

Apesar de curta (a série tem apenas sete episódios, com cerca de 40 minutos cada), “Cidade Invisível” amarra bem a história, faz com que o espectador se apegue aos personagens e, mesmo tendo um enredo com começo, meio e fim, deixa a possibilidade para uma segunda temporada que, felizmente graças ao sucesso, já foi confirmada pela Netflix.

Nota: 4,0 de 5,0.

Luciano Bianco

Editor do LIBERAL, está no grupo desde 2006.
Acumula cada vez mais horas com games, fã de séries, filmes e Star Wars (esse último precisa de uma categoria à parte). Vive o eterno dilema de ver mais um episódio ou dormir.

Estúdio 52

Quer saber sobre aquela série que está bombando na internet? Sim, temos. Ou aquele jogo que a loja do seu console vai disponibilizar de graça? Ok. Curte o trivial e precisa dos lançamentos do cinema? Sem problema, é só chegar.