23 de julho de 2021 Atualizado 23:16

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Estúdio 52

‘Bowser’s Fury’ mostra o caminho para o futuro da franquia Mario

Disponível no pacote do porte de "Super Mario 3D World" para Nintendo Switch, aventura isolada satisfaz e deixa gostinho de quero mais

Por

27 fev 2021 às 08:57

Apesar de possuir uma biblioteca excelente de jogos, o Wii U foi um dos piores consoles da Nintendo em termo de vendas. Em um mercado acostumado com remasterizações, era natural que os principais títulos do já falecido sistema fossem portados para o Nintendo Switch, sucessor do Wii U e um fenômeno mercadológico.

“Super Mario 3D World” era um dos jogos que os fãs mais aguardavam no console atual. Porém, o porte não veio sozinho e trouxe um novo jogo no mesmo pacote.

Ainda que uma experiência mais curta, cujo modo história pode ser finalizado em 3 horas – o tempo médio sobe para cerca de 6 para quem quiser pegar tudo – “Bowser’s Fury” é surpreendente. E indica os caminhos que a franquia Mario pode seguir no futuro.

Na trama, vemos Bowser ainda mais descontrolado do que seu padrão e tomado por uma força maligna. O carismático vilão assume uma forma gigantesca e desperta de tempos em tempos para destruir tudo ao seu redor.

Logo de cara, um elemento narrativo torna a experiência muito interessante. Bowser Jr., filho de Bowser, pede ajuda a Mario para libertar seu pai dessa entidade. O auxílio do novo aliado permite que se jogue em multiplayer, com um jogador controlando Mario e o outro Bowser Jr.

A dinâmica das fases dá o tom do que os próximos jogos da franquia podem se tornar. Trata-se de um mundo aberto, ainda que cada região possa ser considerada uma fase em moldes mais clássicos.

Bowser Jr. e Mario em uma inesperada aliança – Foto: Divulgação

A diferença é que não existem barreiras entre as fases, que podem ser conquistadas e revisitadas de tempos em tempos. O mundo se abre a medida que o jogador as conclui, num sistema que lembra – ainda que só no conceito – a franquia Assassina Creed e diversos outros jogos de mundo aberto. Conquiste determinada região para desbloquear a próxima.

Recheado de power ups clássicos da franquia, o grande destaque nesse sentido é a forma de gato que Mario assume com o Super Bell. É de longe o poder mais “apelão” de toda franquia.

O jogador acumula habilidades diferentes durante o percurso e pode alternar entre elas a qualquer momento. Para lidar com uma torre invisível, por exemplo, a habilidade de fogo (Fire Flower) é a ideal, já que permite identificar onde estão as plataformas.

É preciso coletar sóis pelas fases para liberar a forma gigante de Mario – Foto: Divulgação

No entanto, você quer usar o power up de gato a maior parte do tempo. E os principais momentos de combate com Bowser envolvem essa habilidade.

Durante o jogo, você tem que coletar um determinado número de sóis felinos para desbloquear a forma gigante do “Mario gato”, e assim enfrentar de igual para igual o vilão.

Caso seja golpeado, o protagonista perde o power up, mas pode recuperá-lo no confronto. Por estarem gigantes, a jogabilidade de ambos fica mais lenta, cadenciada, e é preciso se atentar à movimentação de Bowser.

A jogabilidade muda drasticamente na forma gigante – Foto: Divulgação

Em suma, você passa pelas fases para coletar o número de sóis necessários para desbloquear a forma gigante e enfrentar Bowser, que interrompe esse progresso despertando de tempos em tempo.

Com um visual arrebatador e uma trilha sonora empolgante, “Bowser’s Fury” é um jogo excelente. Não me surpreenderia se ganhasse uma “edição completa” no futuro ou que sirva de alicerces para o próximo jogo principal da franquia.

As mudanças climáticas de “Bowser’s Fury” proporcionam momentos épicos – Foto: Divulgação

Para quem ainda está com dúvidas se vale a pena investir num jogo curto, fica o lembrete que o pacote contém “Super Mario 3D World”, um dos melhores títulos da franquia, com horas e horas de diversão.

NOTA: 5 DE 5  

André Rossi

Repórter do LIBERAL, está no grupo desde janeiro de 2019. Sempre em conflito por não saber o que priorizar: a eterna lista de filmes que só aumenta, as séries pendentes que não dão descanso, ou o backlog de RPG’s que nunca termina.

Estúdio 52

Quer saber sobre aquela série que está bombando na internet? Sim, temos. Ou aquele jogo que a loja do seu console vai disponibilizar de graça? Ok. Curte o trivial e precisa dos lançamentos do cinema? Sem problema, é só chegar.