26 de fevereiro de 2021 Atualizado 12:36

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano & Existência

Do mundo VUCA para o modo FICA

Em um mundo marcado pelo egoísmo, intolerância e desamor, é preciso ir à outra margem do rio, onde germinam solidariedade e amor

Por Gisela Breno

19 jan 2021 às 07:48

O conceito de mundo “VUCA”, oriundo do inglês, faz parte da prática de muitos gestores e empresários nesse cenário de Volatilidade (volatility), Incerteza (uncertainty), Complexidade (complexity) e Ambiguidade (ambiguity), desses novos tempos.

Vivendo em águas turbulentas da pandemia, feito salgueiro-chorão que se curva mas resiste às tempestades, constato principalmente pelo egoísmo, falta de retidão, intolerância, desamor – os principais responsáveis pela desumanidade reinante entre nós- que necessitamos viver no modo FICA.

Esse acrônimo por mim criado – Flexibilidade (flexibility), Integridade (integrity), Compaixão (compassion) e Acolhimento (acceptation) -, consiste num modo de ser no mundo, que nos levará à outra margem do rio, onde germinam tolerância, retidão, solidariedade, amor.

Pessoas capacitadas, profissionais competentes, habilidosos, criativos, transbordam na sociedade e são necessários. Mas diante de tanta barbárie nesses tempos difíceis e desafiadores para toda a humanidade, esses atributos são insuficientes.

Urge contarmos com criaturas que entendendo seu papel e importância nesse Planeta, possam não somente nos inspirar, mas nos indicar caminhos que nos guiem para o bem comum.

As vacinas contra Covid-19 são muito, mas muito bem-vindas; entretanto as que serão salfívicas, redentoras para nossa esgarçada condição humana, serão aquelas compostas tão somente por doses de amor.

Gisela Breno

Professora, Gisela Breno é graduada em Biologia na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e fez mestrado em Educação no Unisal (Centro Universitário Salesiano de São Paulo). A professora lecionou por pelo menos 30 anos.