29 de novembro de 2020 Atualizado 18:04

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Desconfie, eleitor

Por Redação

20 out 2020 às 08:02

A desconfiança popular nas promessas de políticos não é por acaso, especialmente quando elas surgem em meio ao período eleitoral. Os exemplos de projetos que soam positivos nos ouvidos dos eleitores, mas que não saem do papel jamais, são recorrentes. Ainda assim, muitos acabam se elegendo por conta de iniciativas que não conseguirão executar. A disputa pela cadeira de vereador é um cenário propício a este tipo de situação.

Reportagem publicada no último domingo contou os bastidores da série de entrevistas feita pelo LIBERAL com 472 dos 494 candidatos ao Poder Legislativo americanense. Na apuração do conteúdo, nas perguntas feitas aos entrevistados, foram diversos os concorrentes que citaram projetos e ideias absurdas.

Em Americana, há quem, por exemplo, promete a reabertura de unidades de saúde, como o Hospital Infantil André Luiz. É bom o eleitor ter em mente que uma decisão do tipo não passa pela caneta de um vereador. A gestão da rede de saúde municipal é de responsabilidade da própria prefeitura.

Da mesma forma, as promessas de se colocar um fim à Área Azul, de aumentar o número de vagas em creche ou até de trazer um shopping pra cidade, feitas por candidatos a vereador, são parte de uma retórica eleitoreira que só serve para dar indícios de duas situações: ou há um completo desconhecimento por parte do concorrente ao cargo legislativo que pretende – o que já indicaria um alerta sobre a “qualidade” do candidato – ou há um claro discurso mentiroso e apelativo.

Para fugir das promessas do tipo, não há outro caminho ao eleitor que não o conhecimento. Entender que o papel de um vereador na câmara passa por propor leis e fiscalizar o poder público, e não de administrar a cidade, é primordial para se filtrar o compêndio de falsas ideias dos candidatos. E, claro, fazer boas escolhas.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.