20 de outubro de 2020 Atualizado 23:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Artigos de leitores

Derrubada do veto à desoneração representa empregos

Por Vanderlei Macris

16 jul 2020 às 08:12

Tem repercutido amplamente na mídia o veto do Governo Federal à proposta de emenda de minha autoria, aprovada na Câmara e posteriormente no Senado, pela manutenção à desoneração da folha de pagamentos de setores altamente empregadores do país, até 2021.

Em contato com representantes principalmente dos setores têxtil e de máquinas e equipamentos, dos quais já presidi Frentes Parlamentares com histórico de luta por ambos, elaborei a proposta de prorrogação à desoneração, que seria fundamental para manter os empregos de milhares de brasileiros no futuro próximo.

A emenda estenderia o benefício fiscal a 17 setores, porém, a medida foi barrada, um equívoco que pode ampliar o quadro de desempregos, os já existentes e os posteriores à pandemia.

Após o veto, entidades dos setores se manifestaram, destacando que o adiamento é imprescindível à preservação de estruturas produtivas, que abrangem cerca de 6 milhões de empregos formais diretos, além de milhares outros indiretos.

A sustentação do apelo das empresas é que o impacto da reoneração da folha, em meio à crise, seria insuportável, já que em 2021 seja improvável que economia e empresas estejam recuperadas.

Com o fim da desoneração, essas empresas teriam de começar a pagar os 20% incidentes sobre a folha de pagamento em vez de alíquotas que variam de 1% a 4,5% sobre a receita bruta, causando impacto financeiro em tempos de retração.

Portanto, a desoneração ajudará a salvar empregos. No Congresso, estou em movimentação pela derrubada do veto. Membros de oposição ou apoio ao governo já se manifestaram a favor.

Não é o momento de reestruturar impostos ao custo do fechamento de empresas e da baixa na carteira dos trabalhadores. Nossa bandeira está hasteada, pelos empregos de milhares de brasileiros!

*Vanderlei Macris é deputado federal

Colaboração

Artigos de opinião enviados pelos leitores do LIBERAL. Para colaborar, envie os textos, com 1.800 caracteres (já contando os espaços), para o e-mail opiniao@liberal.com.br.