06 de maio de 2021 Atualizado 23:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Artigos de leitores

Coronavírus e fome, agentes da morte

Por Dirceu Cardoso Gonçalves

23 abr 2021 às 07:35

A Covid-19 tirou o mundo dos eixos. Não bastando os lockdowns, quarentenas e outras providências de afastamento pessoal cujos resultados são pelo menos inconclusivos, pois têm aumentado em vez de diminuído os infectados, doentes e mortos, ainda se verifica problemas de ordem comportamental. Começou, no ano passado, com os políticos tentando levar vantagens rumo às eleições de 2022. Houve quem pretendesse chegar à presidência da República, governos estaduais e até as prefeituras de suas cidades, como resultado das atitudes e visibilidade adquiridos no decorrer da crise sanitária. Parece que não deu.

De outro lado, encontramos os aproveitadores de plantão, que se tornaram párias, maus exemplos e até casos de polícia ao furar a fila da vacinação.
O auxilio emergencial do governo federal – que em vez dos R$ 600 do ano passado hoje vai de R$ 150 a R$ 375 – não saiu para muitos que o aguardavam e hoje tem seus cadastros devolvendo a informação “em análise”. A antecipação do 13º salário que o ministro Paulo Guedes e o presidente Jair Bolsonaro vêm anunciando desde o começo do ano também ainda não saiu, e o povo se endivida. Precisam os governos federal, estaduais e municipais e todas as forças econômicas capazes, além do Judiciário e do Legislativo, remarem todos para um mesmo destino com o objetivo de evitar o caos.

As trocas de acusações entre os políticos é o item insólito desse quadro de horrores. Necessário se faz buscar providências para aplacá-la e, com isso, evitar uma possível revolução famélica que, além de desunama, se ocorrer, vai jogar por terra a nossa imagem e reputação, além dos conflitos que serão inevitáveis e também poderão custar vidas. Quem tiver pelo menos um pouco de juízo e puder fazer algo, que o faça já, antes que a convulsão social se torne realidade…

Dirceu Cardoso Gonçalves é dirigente da Aspomil (Associação de Assistência Social dos Policiais Militares de São Paulo)

Colaboração

Artigos de opinião enviados pelos leitores do LIBERAL. Para colaborar, envie os textos, com 1.800 caracteres (já contando os espaços), para o e-mail opiniao@liberal.com.br.