14 de janeiro de 2022 Atualizado 15:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Smart Tech

Colaborador intraempreendedor: você tem aí na sua empresa?

Intraempreendedorismo é um conjunto de estratégias que as empresas adotam para promover crescimento e desenvolvimento de dentro para fora

Por Eryvelton Baldin

11 nov 2021 às 08:46 • Última atualização 11 nov 2021 às 08:47

Já é sabido que o “empreendedor” é a pessoa que organiza, opera e assume os riscos no negócio que decidiu empreender. Este termo, geralmente, se aplica às pessoas que iniciam seus próprios negócios, no entanto, pode ser estendido àqueles que são colaboradores de empresas já estabelecidas. Dessa forma, para empreender, não precisa necessariamente ser dono de uma empresa, ou seja, as pessoas que conseguem ser empreendedores em suas atividades dentro de outras empresas são chamadas de “intraempreendedores”.

Sendo assim, o Intraempreendedorismo pode ser um conjunto de estratégias que as empresas adotam para promover o seu crescimento e o seu desenvolvimento de dentro para fora. Em outras palavras, o Intraempreendedorismo aplica os mesmos princípios de empreendedorismo, ou da figura empreendedora, ao contexto mais amplo de empresas já existentes com foco na utilização do potencial de inovação e na renovação estratégica dos próprios colaboradores, para aumentar a produtividade e os resultados financeiros, por exemplo.

Enquanto algumas empresas tentam alcançar esses resultados de negócios por meio do desenvolvimento de políticas internas, outras recorrem ao desenvolvimento de intraempreendedores para atingir seus objetivos corporativos por meio de pessoas que se sintam pertencentes a vida da empresa. E colaboradores engajados, comprometidos têm potencial de inovar.

Sabe-se que é absolutamente crítico uma inovação que seja contínua e que mantenha a sobrevivência e o crescimento da empresa, gerando vantagem competitiva sustentável de mercado, por isso, o colaborador com o perfil intraempreendedor torna-se um papel importante na empresa à medida que está sempre em busca de organizar, operar, assumir riscos, criar ideias para manter a empresa em que trabalha um passo à frente da concorrência.

A utilização de estratégias de Intraempreendedorismo, é uma forma de inovação e renovação estratégica de pessoas que ajudam as empresas a criar produtos e processos que façam sentido ao colaborador, de modo que o colaborador perceba que a missão, visão e valores da empresa são os mesmos que regem as suas expectativas profissionais.

Segue os exemplos de empresas que desenvolvem colaboradores intraempreendedores: Amazon, Netflix, Apple e Google. Estas, continuam a inovar no mercado, embora cada uma dessas empresas representem setores muito diferentes, o que é comum a cada uma delas tem presença perene na lista de empresas mais inovadoras do planeta.

Como desenvolver o Intraempreendedorismo nos colaboradores?

Embora existam vários mecanismos que estimulem o Intraempreendedorismo, as empresas podem explorar o papel que seus colaboradores cultivando uma cultura que inclua uma orientação empreendedora dentro da empresa, o que chamamos de “senso de dono”. Um exemplo disto é a cultura de gestão 80/20 da Google que incentiva que seus colaboradores invistam 20% de seu tempo desenvolvendo atividades projetos paralelos às suas responsabilidades imediatas. Um dos resultados disto? A ferramenta Gmail. A Google não perde colaboradores que empreendem a fora, a Google ganha colaboradores que sabem os esforços necessários para chegar aonde desejam chegar dentro visão empresarial.

Todos os colaboradores de uma empresa são recursos importantes, uma vez que a auxiliam, por meio de suas competências, a absorver e implantar o conhecimento específico que colabora para o desenvolvimento da vantagem competitiva frente ao mercado. Sendo assim, quando o colaborador se torna um intraempreendedor, este é impactado de vários pontos de vista diferentes, dependendo em qual área o colaborador atua.

Empresas que investem no desenvolvimento do Intraempreendedorismo, possuem estratégias de gestão de pessoas que busca atrair e reter os melhores profissionais, sempre motivando e desafiando as suas forças de trabalho, dessa forma, os colaboradores capacitados dentro de suas organizações experimentam uma motivação aumentada, começam a se engajar em participar de atividades de desenvolvimento de novos produtos ou processos pode superar desafios se mantendo motivados e ativamente envolvidos nas atividades que ocorrem dentro da empresa.

Em suma, o colaborador intraempreendedor tem nele gerado as seguintes características:

  1. Autonomia
  2. Inovação
  3. Proatividade
  4. Agressividade competitiva
  5. Assumir riscos

Estas são as cinco bases que podem ser definidas para implementar uma cultura de empreendedores dentro da sua empresa!

Empresas mais esclarecidas quanto ao desenvolvimento de intraempreendedores, compreenderam a importância de descobrir, nutrir e recompensar seus colaboradores para que eles não se sintam desalinhados e não pertencentes a empresa e partam à procura de outros empregos. De acordo com um artigo recente do New York Times, muitos colaboradores estão, de fato, deixando o lugar em que trabalham para buscar seus próprios empreendimentos, se não pelos desafios crescentes que a ação de empreender exige, ou por causa da diminuição dos estímulos e das recompensas adequadas que vivenciam em empresas as quais não são proprietários.

O desenvolvimento de colaboradores intraempreendedores depende de uma gestão contínua de formação desse tipo de força de trabalho, que garanta que essa liberdade de aprender e ensinar, uns aos outros, a utilizar as características do empreendedor, dentro da empresa, de forma produtiva e coletiva.

É importante ressaltar e Dornelas já dizia: “Os intraempreendedores passam a ser ao mesmo tempo os pensadores, sonhadores, idealizadores e executores, planejadores, trabalhadores. No entanto, o pensamento flui continuamente para a AÇÃO.”

Se você tem colaboradores intraempreendedores. Não os perca de vista!

Henrique Costa e Eryvelton Baldin

Assinado por Henrique Costa e Eyvelton Baldin, conteúdo sobre tecnologia, inovação e empreendedorismo