14 de junho de 2021 Atualizado 16:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Presença Digital

Atenção: seu cliente não quer só ouvir, ele quer conversar!

Quando seu possível cliente assimila, ou melhor ainda, quando ele coloca em prática uma dica, informação ou sacada divulgada por sua empresa, uma mágica acontece

Por Ronnye Freitas e Ricardo Forti

28 Maio 2021 às 09:00

Durante muitos anos, a publicidade foi usada como uma via de informação de mão única, focando sempre no discurso do anunciante e, até por falta de meios de mensuração e ferramentas de interação, não se importava com a percepção imediata ou com a interação com o público.

Mesmo que toda produção da campanha fosse feito de forma impecável, com slogans poderosos, design meticuloso e um extremo cuidado que transformava o anúncio em uma peça de arte, o foco estava totalmente no discurso, como se a marca estivesse apresentando um monólogo, não havendo espaço (nem ferramenta) para um diálogo entre empresa e seu cliente.

Lembro-me de uma campanha que marcou bastante. Se você tem mais de 30 anos, também deve se lembrar de um dos  mais famosos comerciais da televisão brasileira, a campanha dos Mamíferos da Parmalat, de 1996. Nela, meninos e meninas entre 3 e 4 anos de idade brincavam vestidos de filhotes de mamíferos. A campanha, que durou mais de 4 anos, criada por Erh Ray e Nizan Guanaes da DM9DDB, foi um verdadeiro sucesso de público, fazendo que a marca consolidasse sua presença no mercado nacional.

O advento das redes sociais mudou este cenário por completo. Apesar das grandes campanhas continuarem a existir, uma nova modalidade de marketing se tornou possível. As redes sociais com sua tecnologia e estrutura deram ao consumidor a possibilidade de interação imediata com as empresas. Neste novo contexto, favoreceu a principal mudança na estrutura do marketing: a transição do discurso para o diálogo. Se antes o consumidor era apenas um espectador, ou seja, ele apenas recebia a mensagem, agora ele pode interagir, conversar, opinar e se posicionar em tempo real com marca, de uma forma nunca antes possível.

Com a possibilidade deste diálogo entre marca e consumidor, houve a necessidade de estabelecer uma comunicação que pudesse criar e fortalecer os vínculos com seu público, uma comunicação não somente baseada na oferta e na publicidade, mas focada no conteúdo, que por auxiliar o consumidor a resolver seus problemas, tem a capacidade de atrair, informar e fidelizar seu público, criando assim um ambiente muito mais propício para a venda.

A melhor forma para criar esse ambiente de diálogo é através do marketing de conteúdo, que é uma estratégia que funciona como ferramenta de descoberta, onde o consumidor caminha e interage com a empresa, criando pontos de conexão para que a empresa possa gerar valor para o cliente através desse relacionamento.

Para atrair e se relacionar com esse consumidor que agora pode interagir diretamente com a marca e em tempo real, foi preciso dar o espaço para que ele se torne o protagonista da história. Em outras palavras, neste novo marketing é necessário ensinar o seu consumidor a comprar da sua empresa. É de fato, pegá-lo pela mão e acompanhá-lo por toda jornada de compra, auxiliando-o a tomar as melhores decisões, que ao final desta jornada, passa em adquirir o produto ou serviço oferecido por sua empresa.

Quando seu possível cliente assimila, ou melhor ainda, quando ele coloca em prática uma dica, informação ou sacada divulgada por sua empresa, uma mágica acontece:  naquele momento, ele gera uma conexão automática com seu negócio e fica aberto a iniciar um diálogo com sua empresa. Assim, se uma empresa deseja tornar-se conhecida e principalmente gerar valor para seus consumidores, criando um ambiente que possibilite o diálogo com eles, é imprescindível o desenvolvimento de estratégias de marketing de conteúdo.

Ronnye Freitas / Ricardo Forti

Tudo o que você precisa saber sobre como empreender na internet, por Ronnye Freitas e Ricardo Forti, sócios de uma agência de marketing em Americana