22 de abril de 2021 Atualizado 19:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Editorial

Assistência essencial

Por Redação

07 jan 2021 às 08:49

Nos últimos dias, o LIBERAL passou a receber reclamações quase diárias de pacientes que procuraram o Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana, para verificarem sintomas da Covid-19. Os relatos traziam situações como a demora para os atendimentos e a presença de poucos médicos.

Conforme reportagem publicada pelo LIBERAL nesta quarta-feira, em edição virtual, a espera chegou até 6 horas por um atendimento seja no PAC (Pronto-Atendimento Covid) ou no pronto-socorro geral do hospital. Pacientes ouvidos pela reportagem relataram, por exemplo, que chegaram a desistir de aguardar pela consulta por conta da lotação.

Outro comentário trazido pelos pacientes foi a situação de que, durante a espera, os pacientes compartilhavam o mesmo espaço, vários deles com sintomas como tosse. O temor era pelo risco de que quem estivesse com uma gripe comum, por exemplo, fosse exposto a quem estivesse com o vírus, ainda mais por um tempo prolongado.

O problema foi atribuído à Hygea, terceirizada que é responsável pelo fornecimento de médicos ao hospital municipal. Em nota, a empresa alegou que muitos médicos precisaram ser afastados em função da pandemia, e que nem sempre é possível encontrar profissional disponível para a cobertura do plantão. Também afirmou que não houve desassistência e que o caso foi pontual.

De fato, há algum tempo o atendimento no HM não tem sido alvo de grandes reclamações, como em anos atrás, quando a espera podia chegar a quase 10 horas. Mas, infelizmente, os problemas “pontuais” se dão diante de um grave avanço de uma das piores crises sanitárias.

A falta de médico ou a demora pelos atendimentos podem ser fatais. Se continuadas irão mudar o cenário de “tranquilidade”, como avaliado pelo prefeito Chico Sardelli. É preciso que a população, às vésperas de ser vacinada, não fique desassistida.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.