17 de junho de 2021 Atualizado 00:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Patrik Camargo Neves

A necessidade de ouvir pessoas melhores que você

Acredito profundamente que cada centavo gasto com estudo volta muito rápido e em quantidade muito maior

Por Patrik Camargo Neves

31 Maio 2021 às 13:42 • Última atualização 31 Maio 2021 às 13:43

Desde que me formei, há mais ou menos vinte anos, a cada dois ou três anos procuro voltar a estudar. É o tempo que entendo necessário para termos algum avanço real como profissionais, para estarmos prontos para assimilar novos conteúdos em novas áreas, conhecer pessoas novas e aproveitar a troca de experiências com os demais participantes.

E em todas as vezes, as premissas para minhas escolhas sobre o que e onde estudar são sempre as mesmas: procuro sempre a melhor instituição dentro da minha realidade de tempo, interesse e disposição. E quanto ao dinheiro envolvido, a gente sempre dá um jeito, porque acredito profundamente que cada centavo gasto com estudo volta muito rápido e em quantidade muito maior.

Todos os meus cursos até aqui tinham sido voltados para o direito ou para negócios. Desta vez resolvi aprofundar ainda mais meus conhecimentos em negócios e resolvi fazer um curso de formação de conselheiros no Instituto Brasileiro de Governança Corporativa. O IBGC é a maior referência em governança corporativa do Brasil, e certamente a mais tradicional instituição de formação de conselheiros administrativos, já que muitos conselheiros das maiores empresas do Brasil vieram de lá ou são seus membros.

O curso acontece todas as terças, das 18h às 22h , por quatro meses. Então trabalho o dia inteiro e, ainda longe de acabar tudo que tenho para fazer no escritório, emendo quatro horas de aulas e debates, que invariavelmente foram precedidos de pelo menos duas horas de leitura prévia do conteúdo disponibilizado pela instituição para que possamos chegar às aulas já preparados. Como tudo que vale a pena na vida, é sim um baita esforço.

E o que faz um conselheiro? Para entender o que faz um conselheiro, antes é importante entender o que é um conselho administrativo ou um conselho consultivo. Vamos lá então, rapidamente: um conselho administrativo é um órgão formado por vários conselheiros que determinam as diretrizes de uma corporação.

Como você bem sabe, há muitas empresas que não têm um único dono, que são empresas de capital aberto, e que, portanto, são geridas pelos conselhos de administração. E como o próprio nome diz, um conselho de administração aconselha e orienta os administradores, determina os rumos do negócio, elege e destitui a diretoria, toma as contas da gestão e muitas outras coisas. Sempre com a premissa “noses in, fingers out”, ou seja, um conselheiro não executa nada, mas está sempre de olho no que realmente importa, orientando, cobrando e fiscalizando.

Além do conselho administrativo, há uma outra modalidade que me encanta muito mais, que é o conselho consultivo. Hoje, empresários modernos e geralmente acima da média dos seus concorrentes, têm a clara visão que quanto mais gente incrível ele tiver por perto, mais incrível será a empresa dele. E ele também percebe que geralmente é muito bom em uma ou duas coisas, mas para uma empresa ser bem-sucedida ela deve ser muito boa em várias coisas.

E por isso estes bons empresários têm decidido implementar conselhos consultivos em suas empresas, formados por profissionais super experientes, com diversas habilidades e de diversas áreas – inclusive áreas de atuação muito diversas da área de atuação da própria empresa. Isso gera uma enorme riqueza de experiências e oferece à diretoria e aos próprios sócios a oportunidade de terem um altíssimo nível de profissionais os ajudando a olhar para a empresa, enxergar os riscos, os desafios e construir uma estratégia de sucesso para superá-los.

E por que eu estou te contando isso tudo?  Porque você não precisa ter uma grande empresa para criar estruturas de aconselhamento, seja através de um conselho, seja por um consultor ou até mesmo com outros profissionais. Não importa o tamanho da sua empresa, você pode (e certamente deve) se aconselhar com pessoas que saibam mais do que você em muitas coisas.

Levar para essas conversas as dificuldades que você está tendo como empresário, no que você é melhor ou pior que seus concorrentes, quais são os caminhos que você deve trilhar e quais você deve evitar e muito mais. Isso vai te dar mais segurança e confiança para enfrentar os enormes desafios do ambiente empresarial. Experimente. Garanto que vai valer a pena.

Patrik Camargo Neves

Advogado de Americana, especialista em direito empresarial, aborda o cotidiano e os desafios de empreender em textos às segundas