Vendas no comércio têm queda de 9% no Natal

Acia revela que os lojistas, de modo geral, já estão apostando em liquidações para desencalhar os estoques


As vendas de Natal caíram 9% em 2015 em relação ao ano passado, na cidade de Americana. O levantamento é da Acia (Associação Comercial e Industrial de Americana), que ouviu diversos lojistas em busca de uma amostragem de vendas do mês de dezembro. De acordo com o presidente da entidade, Dimas Zulian, “2015 foi um ano para ser definitivamente esquecido”. O único setor que ”salvou a pátria” foi o de brinquedos, que se manteve estável, em relação a 2014. [\img]Foram avaliadas lojas do ramo de vestuários, sapatos, brinquedos, eletrônicos, utilidades domésticas, óticas, perfumarias, entre outras. Os dados do município estão de acordo com um levantamento feito pela Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) em todo o País. De acordo com a instituição, o Natal de 2015 foi o pior em volume de vendas em dez anos para os shoppings centers brasileiros, com uma queda de 2,8% em termos reais – descontada a inflação. “A tendência óbvia é que agora tenhamos grandes liquidações para tentar desovar um pouco os estoques que ficaram e começar 2016 com bastante cautela. As compras do comércio deverão ser bem reduzidas no ano que vem. Vai ser assim até que seja possível avaliar a situação porque até agora não temos nenhuma expectativa ou previsão de como será o ano”, comentou Zulian.

De acordo com o presidente, essa é uma grande oportunidade para os consumidores. “Inevitavelmente os comerciantes farão liquidações e notamos que alguns até já começaram a fazer propagandas”, finalizou.

Mais otimistas estão os comerciantes de Santa Bárbara d’Oeste. De acordo com a associação comercial da cidade, a Acisb, as vendas no comércio de rua chegaram a crescer em relação a 2014, apesar do tímido aumento de apenas 1%. “É um crescimento pequeno, mas se olharmos a crise econômica que estamos vivendo, com os consumidores retraídos, foi um grande resultado”, comentou Roberto Bonamin, presidente da associação.

Ele atribui o bom resultado a dois motivos. O primeiro, relacionado às campanhas natalinas da instituição que ofereceram, automóveis, motocicletas e televisores, algo que atraiu os consumidores. Outro ponto levantado pelo profissional foi a recente revitalização da Praça Central da cidade. “Sentimos que no período de Natal a praça estava bem cheia, teve show todas as noites e isso atraiu muita gente. Estando lá, um presentinho ou outro as pessoas sempre acabam comprando”, comentou. “Enquanto muitos setores da cidade ficaram negativos, como por exemplo os shoppings, o comércio de rua se fortaleceu”, finalizou.

Até a publicação desta reportagem, as associações comerciais de Hortolândia, Nova Odessa e Sumaré ainda não haviam concluído os levantamentos municipais.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora