Hospital Estadual de Sumaré receberá verba de indenização do caso Shell-Basf

Dinheiro de indenização coletiva será utilizado para comprar equipamentos para o setor de neurocirurgia da unidade hospitalar


O MPT (Ministério Público do Trabalho) destinará ao Hospital Estadual de Sumaré o montante de R$ 2.499.998,00 para a aquisição de equipamentos de neurocirurgia. A verba é derivada do acordo de indenização coletiva do notório caso Shell-Basf.

O dinheiro possibilitará a compra de equipamentos como microscópio, sistema de neuroendoscopia e endoscopia de base de crânio, craniótomo, cabeceira, caixas de microcirurgia, aspirador ultrassônico, neuronavegador, estereotaxia, cadeira cirúrgica e mesa cirúrgica. A instituição atende unicamente pacientes do Sistema Único de Saúde.

Foto: Arquivo / O Liberal
Hospital será beneficiado com verba de acordo coletivo

Para o procurador Ronaldo Lira, a destinação possibilitará a criação de um centro de referência regional em neurocirurgia, beneficiando toda a população de Sumaré e de toda a Região Metropolitana de Campinas. “Os trabalhadores vitimados pelas empresas em Paulínia tiveram que recorrer ao SUS por muitos anos. A reversão é coerente e traz uma reparação para toda a sociedade, de forma a oferecer à população uma estrutura de ponta no atendimento de cirurgias neurológicas”, explica.

Até o momento, a comissão de procuradores encarregada de escolher projetos beneficiados pelo acordo coletivo já destinou mais de R$ 100 milhões para projetos do Hospital de Câncer de Barretos, do Centro Infantil Boldrini, a Fundacentro, a Universidade Federal da Bahia e da Fraternidade São Francisco de Assis.

O processo
SEm 2013, o TST (Tribunal Superior do Trabalho) homologou o maior acordo da história da Justiça do Trabalho, celebrado entre o Ministério Público do Trabalho e as empresas Raízen Combustíveis S/A (Shell) e Basf S/A. A conciliação encerrou a ação civil pública movida pelo MPT em Campinas no ano de 2007, depois de anos de investigações que apontaram a negligência das empresas na proteção de centenas de trabalhadores em uma fábrica de agrotóxicos no município de Paulínia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!