18 de julho de 2024 Atualizado 22:35

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Suspeito de estupro é preso com a ajuda da própria família

Suspeito já havia sido preso pelo mesmo crime, em Jarinu; familiares dele procuraram delegacia para armar uma campana que levou à prisão em Campinas

Por Leonardo Oliveira

05 de junho de 2019, às 17h14

Uma mulher de 25 anos reconheceu na última semana um homem de 30 anos como o autor de um estupro cometido contra ela no dia 11 de maio, em Sumaré. O suspeito foi detido em Campinas, no último sábado (1º), após uma campana realizada pela DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

Ele estava tentando fugir para Minas Gerais e buscou contato com familiares para conseguir o dinheiro necessário para viabilização da mudança. Parentes procuraram a delegacia e ajudaram os policiais na prisão.

Foto: Reprodução / Facebook / Rodoviária de Campinas
Prisão do indivíduo foi realizada na Rodoviária de Campinas, após campana organizada pela polícia, com a ajuda de familiares do suspeito

As investigações tiveram início após a vítima procurar a DDM para relatar que havia sido vítima de estupro em uma passarela de pedestres em Sumaré, no dia 11 de maio. A mulher ainda teria sido agredida com socos e chutes até ser liberada pelo criminoso.

O homem já havia sido preso pelo mesmo crime, em Jarinu, mas a delegacia não soube precisar a data deste caso. Familiares do autor ficaram sabendo da ocorrência de um estupro em Sumaré e buscaram contato com a DDM, acreditando no envolvimento do rapaz.

Uma campana foi montada na última sexta-feira (31) na tentativa de prendê-lo, mas a presença de uma viatura da PM (Polícia Militar) dispersou o homem do local. No dia seguinte, ele encontraria parentes na rodoviária de Campinas para pegar dinheiro para uma viagem a Minas Gerais.

Por volta das 10 horas, policiais fizeram a prisão do indivíduo e o encaminharam a uma cadeia que recebe presos que praticam crimes dessa natureza, cuja localização não foi divulgada.

A vítima reconheceu o suspeito como autor do crime e foi pedida a prisão temporária de cinco dias, que será prorrogada por mais cinco. Depois disso, será requisitada a prisão preventiva dele.

Publicidade