Sumaré não renova contrato de Zona Azul

O contrato com a operadora do serviço encerrou-se no dia 22 de julho


A Prefeitura de Sumaré lacrou os parquímetros da Zona Azul e o município está sem estacionamento rotativo na região central. O contrato com a operadora do serviço, a Rizzo Mobiliário Urbano Ltda, encerrou-se no dia 22 de julho, e a prefeitura decidiu não renová-lo por conta de descumprimentos de cláusulas contratuais. A empresa foi procurada nesta sexta pela reportagem, mas o responsável não foi localizado e não retornou as ligações.

Foto: Imprensa/Divulgação
A Zona Azul de Sumaré foi a primeira a ser 100% digital na região de Campinas

A prefeitura disse que tinha dificuldades em fiscalizar a arrecadação com a Zona Azul porque a empresa não fornecia os extratos dos parquímetros. Além disso, o contrato previa como contrapartida que a Rizzo deveria fornecer ao município duas motos, o que não foi cumprido, de acordo com a prefeitura.
“Uma nova licitação será aberta em breve para restabelecer o estacionamento rotativo nas ruas comerciais do Centro da cidade, com o objetivo melhorar a prestação do serviço à população. Neste intervalo, a Prefeitura de Sumaré pede a colaboração dos motoristas para manter a rotatividade nas vagas no Centro da cidade, permitindo maior movimentação de consumidores nos comércios locais”, disse a prefeitura sobre o tema.

A Zona Azul de Sumaré foi a primeira a ser 100% digital na região de Campinas. O novo sistema começou a operar em novembro do ano passado. Os usuários podiam pagar as tarifas através de cartão de crédito, débito e do aplicativo baixado no celular. A taxa praticada era de R$ 1 por hora estacionada, e os motoristas podiam ficar no máximo duas horas na vaga escolhida.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora