Sumaré decreta estado de calamidade por conta do novo coronavírus

O objetivo é promover um maior isolamento social da população, diz o decreto publicado nesta segunda-feira


O prefeito de Sumaré, Luiz Dalben (Cidadania), decretou nesta segunda-feira (23) estado de calamidade pública na cidade para evitar a expansão do novo coronavírus (Covid-19). O objetivo é promover um maior isolamento social da população. Na região, Americana e Santa Bárbara d’Oeste também editaram decretos semelhantes.

Sumaré não possui casos confirmados do coronavírus. O último boletim divulgado pela administração, ontem, aponta 64 casos suspeitos.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

O decreto, publicado no Diário Oficial, proíbe o atendimento presencial ao público em estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços. Galerias, casas noturnas, academias e o Shopping Park City são exemplos de locais onde há a proibição no atendimento.

Também fica vedado o consumo em bares, restaurantes, padarias e supermercados. Somente poderão funcionar os serviços de entrega e drive-thru. Os efeitos do decreto não valem para as atividades essenciais, ligadas a saúde, transporte, alimentação e segurança.

Podcast: Sete edições do Além da Capa para ouvir durante a quarentena

A circulação de pessoas na cidade só é recomendada no caso de necessidades de alimentação, cuidados médicos e outras atividades essenciais. Nas repartições públicos também haverá suspensão do atendimento.

O decreto passou a valer nesta terça-feira e irá vigorar até o dia 7 de abril.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora