06 de março de 2021 Atualizado 21:31

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Prefeitura de Sumaré vai averiguar se bombeiro recusou atendimento por falta de vacina

Apoio ao Samu em ocorrência teria sido negado até que bombeiros tomassem vacina contra Covid-19

Por Heitor Carvalho

22 fev 2021 às 18:21 • Última atualização 23 fev 2021 às 11:29

Os bombeiros teriam negado atendimento a duas ocorrências que envolviam vítimas graves - Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG

Alguns bombeiros de Sumaré estariam negando apoio a outros serviços de socorro por falta de vacina contra o novo coronavírus (Covid-19). O caso foi relatado ao LIBERAL por uma fonte que não quis se identificar.

Os bombeiros teriam negado atendimento a duas ocorrências que envolviam vítimas graves. Uma teria ocorrido no sábado (20) e a outra no domingo (21).

O motivo alegado seria o receio de contrair a doença durante essas ocorrências, já que os bombeiros ainda não receberam suas doses da vacina contra o novo coronavírus.

O LIBERAL questionou a Prefeitura de Sumaré sobre o relato de recusa de atendimento e sobre se há alguma previsão de quando os bombeiros do município começarão a ser vacinados.

Em nota a prefeitura afirmou que o “caso vai ser averiguado” e que “o acidente em questão necessitava de atendimento da equipe Alfa do Samu, ou seja, suporte avançado com médico para prestar o socorro necessário”.

“Serão chamados os plantonistas para esclarecimentos, e, se necessário, será aberto procedimento interno”, concluiu o comunicado.

O LIBERAL também perguntou qual era o tipo de acidente para o qual o Samu solicitou suporte e se a recusa de atendimento aconteceu em outras ocasiões por conta da falta da vacina, mas esses questionamentos não foram respondidos.

Segundo o relato da fonte, no entanto, o problema ocorreu outras vezes e se estende desde quando teve início a campanha de vacinação contra a Covid-19 em Sumaré, no mês passado.

Na última terça-feira (16), a campanha de vacinação na cidade foi interrompida temporariamente depois que todas as doses de vacina destinadas ao município para a primeira fase se esgotaram no dia 12 de fevereiro.

Veja a nota da administração na íntegra:

“De acordo com o comando do Corpo de Bombeiros, segundo informação do encarregado da equipe na ocasião, o acidente em questão necessitava de atendimento da equipe Alfa do Samu, ou seja, suporte avançado com médico para prestar o socorro necessário.

O caso vai ser averiguado. Serão chamados os plantonistas para esclarecimentos, e, se necessário, será aberto procedimento interno.”

Publicidade