Sumaré amanhece sem ônibus

Sindicato convocou para hoje uma greve no município em protesto contra a agressão de uma motorista da empresa por um perueiro


Os motoristas do transporte urbano de Sumaré cruzaram os braços a partir desta terça-feira (12) por tempo indeterminado. Após aprovação do movimento grevista em assembleia, o Sindicato dos Trabalhadores nos Transportes Rodoviários de Americana e Região convocou para hoje uma greve no município em protesto contra a agressão de uma motorista da empresa por um perueiro. Na manhã desta terça-feira, os trabalhadores fariam um protesto em frente a prefeitura para cobrar um posicionamento da administração sobre o transporte na cidade.

A Prefeitura de Sumaré anunciou nesta segunda-feira que notificou a empresa Ouro Verde – concessionária do transporte coletivo na cidade – a manter o serviço. A empresa diz que não foi notificada.

Na última quarta-feira, dia 6, um motorista do serviço de transporte alternativo da cidade atingiu a testa da condutora de um ônibus com o cinto de segurança. Após o episódio, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana revogou a permissão do profissional e proibiu a circulação do veículo dele por um prazo de 15 dias.

“A Administração Municipal ainda reforça que todas as medidas cabíveis com relação ao caso de agressão já foram adotadas, ainda na semana passada, e que – embora a segurança pública seja responsabilidade do Governo Estadual (Polícia Militar) – a Guarda Municipal está à disposição de toda a população, assim como dos motoristas e demais trabalhadores, 24 horas por dia”, diz a nota encaminhada pela prefeitura.

Para a reportagem do LIBERAL, a Ouro Verde afirmou que não foi notificada pela Prefeitura de Sumaré. “A greve foi convocada pelo sindicato. Enquanto empresa, nos preocupamos com o atendimento aos usuários, porque a greve traz prejuízos a eles. Porém, desde 2013 vem acontecendo agressões contra nossos trabalhadores. Somos a favor que a Prefeitura de Sumaré e as demais autoridades tomem as providências cabíveis para que essas situações de agressões parem de acontecer”, informou a empresa.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!