03 de agosto de 2020 Atualizado 22:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Sumaré

PM encontra fábrica clandestina de falsificação de bebidas

Após denúncia e monitoramento do imóvel, que fica no Jardim Dall’orto, em Sumaré, corporação flagrou a chegada de um carregamento de bebidas

Por Isabella Holouka

09 jan 2020 às 16:30 • Última atualização 09 jan 2020 às 21:07

A Polícia Militar fechou na tarde desta quinta-feira (9) uma fábrica clandestina que atuava na falsificação de bebidas em Sumaré. Localizado na Rua Pirenópolis, no Jardim Dall’orto, o imóvel estava ocupado por materiais para envase. Dois casais e duas crianças estavam no local.

“Tivemos uma denúncia de que havia uma fábrica clandestina aqui e, depois de um monitoramento na casa, foi identificada a chegada de um carregamento”, relatou o major Cleotheos Sabino.

Tanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvelTanques e materiais para envase de bebida ocupavam grande parte do imóvel

Dentro da casa foram descobertos tambores com a bebida, diversos materiais para envase e grande quantidade de garrafas vazias, além de tambores cheios do líquido, pronto para envazar.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

Os materiais ocupavam diversos cômodos da casa e, apesar da presença de uma cama e alguns objetos pessoais, o imóvel era utilizado unicamente para a falsificação.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Ainda segundo o major Sabino, o mesmo grupo mantinha um galpão clandestino em Campinas, onde um homem foi encontrado e detido. As quatro pessoas localizadas no imóvel em Sumaré também foram presas. O caso foi registrado no plantão policial de Sumaré.