25 de julho de 2021 Atualizado 16:21

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Nova variante do coronavírus, P4 é identificada em Sumaré

Variante apresenta mutação de escape imunológico, semelhante às linhagens da Índia e da Califórnia; impacto sobre vacinas ainda não foi estudado

Por Marina Zanaki

26 Maio 2021 às 18:16 • Última atualização 26 Maio 2021 às 19:45

Uma nova variante do novo coronavírus (Covid-19), identificada em pelo menos 22 cidades do interior de São Paulo, foi encontrada em amostra da cidade de Sumaré. Essa nova cepa do vírus, batizada de P4, apresenta mutação de escape imunológico, semelhante às cepas da Índia e da Califórnia. O impacto sobre vacinas ainda não foi estudado.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Pesquisadores da Unesp (Universidade Estadual Paulista) anunciaram a descoberta da variante na terça-feira (25). Ela foi identificada em amostras coletadas no município de Porto Ferreira, no interior paulista, mas também foi encontrada em outros municípios. A variante deriva da mesma linhagem que deu origem à P.1, identificada inicialmente em Manaus (AM).

A virologista Paula Rahal, professora da Unesp (Universidade Estadual Paulista) de São José do Rio Preto, confirmou que a cepa mutante foi identificada também em Sumaré.

“Há vários grupos fazendo vigilância genômica no Estado de São Paulo. Nós identificamos na região de Araraquara. Em relação a essa de Sumaré, existem outros grupos, como Instituto Adolfo Lutz e o Instituto Butantan, que estão investigando essas regiões. Mas vimos que eles identificaram a mesma variante que nós”, contou a pesquisadora.

Os próximos passos são verificar se essa variante tem maior transmissibilidade e como se comporta em relação às vacinas.

“É muito importante fazer essa vigilância, pois quando surge uma nova variante a gente tem que entender se é mais transmissível, virulenta e se tem escape viral imunológico. Essa (P4) gera preocupação porque tem uma mutação que é a mesma da variante indiana e a mesma da Califórnia. Parece que não é tão bem reconhecida pelos anticorpos”, explicou a virologista.

O pesquisador João Pessoa Araújo Junior, professor da Unesp e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Virologia, disse que foi observada uma maior presença da P4 na região de Porto Ferreira durante os últimos três meses.

“O fato de ela estar em ascensão nos chama muita atenção. Não é uma variante que aparece a todo momento e acaba desaparecendo. Ela está aumentando a frequência de transmissão”, alertou.

Um estudo do Instituto Adolfo Lutz já havia identificado a variante de Manaus em amostra de Sumaré. A cidade contabiliza 751 mortes pela doença desde o início da pandemia.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

NOTIFICAÇÃO. A Secretaria de Saúde de Sumaré informou que até o momento não foi notificada sobre a presença da nova variante. Diante da informação, a Vigilância Epidemiológica disse que vai entrar em contato com o Instituto Adolfo Lutz.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo divulgou, nesta quarta-feira, que não foi notificada oficialmente sobre a variante P4. O balanço atualizado das três variantes de atenção (ou seja, aquelas com risco de aumento de transmissibilidade ou gravidade da infecção) no Estado de São Paulo contabiliza 374 casos autóctones:

  • Variante sul-africana: 3 confirmações de B.1.351
  • Variante britânica: 15 confirmações de B.1.1.7
  • Variante de Manaus: 356 confirmações de P.1

Nesta quarta-feira, o Instituto Adolfo Lutz confirmou um caso da variante indiana em um paciente que desembarcou em São Paulo vindo do Rio de Janeiro. Em relação a essa cepa, não há registro de caso autóctone em SP.(Com informações da Agência Estado).

Publicidade