13 de junho de 2021 Atualizado 20:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Menino de 2 anos morre afogado em piscina, em Sumaré

Criança disse que ia ao quintal brincar com a cachorra e menos de dois minutos depois foi encontrada imóvel dentro da piscina

Por Marina Zanaki

13 Maio 2021 às 19:09

Um menino de apenas 2 anos morreu afogado nesta quarta-feira (12), em Sumaré, na piscina que fica no quintal da casa onde residia. A criança chegou a ser socorrida à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Matão, mas não resistiu.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Segundo o boletim de ocorrência, o acidente ocorreu por volta das 15h no Residencial Santa Terezinha, do Matão. A mãe da vítima contou à Polícia Civil que chamou o filho para ajudá-la a estender roupas, ação em que ele sempre a acompanhava. O menino, contudo, estava na sala e respondeu que iria brincar com a cachorra.

Menos de dois minutos depois, a mãe não viu o filho e o chamou. Sem resposta, repetiu o chamado por mais duas vezes. Como ele não respondeu, foi procurá-lo e o encontrou já imóvel dentro da piscina. A mulher então entrou na água para retirá-lo, momento em que a criança movimentou os braços e vomitou água.

A mãe disse aos policiais que é técnica em enfermagem, prestou os primeiros socorros e a criança regurgitou água. Ela colocou o filho no carro, notando que ele respirava com dificuldade. Contudo, ela estava muito nervosa e não conseguiu dirigir o veículo.

A mãe contou que reside em um bairro de chácaras e que tem apenas um vizinho. Ela então soltou o carro em uma descida e começou a buzinar, gritando por socorro. Nesse momento, um motociclista parou e assumiu a direção do veículo, encaminhando a criança à UPA Matão. No boletim de ocorrência consta a informação que o menino chegou à unidade praticamente sem vida.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

No depoimento à Polícia Civil, a mãe da criança disse que nunca deixou o menino entrar sozinho na água. A piscina do imóvel tem 1,3 metro de profundidade e não conta com grades ao redor.

A mãe ainda disse que orientou o filho quanto ao comportamento na água e que a criança sempre obedeceu às recomendações. A mulher disse à polícia que não sabia como o acidente tinha ocorrido pois a criança ficou menos de dois minutos sozinha.

A perícia foi acionada à residência onde o fato ocorreu. O caso foi registrado como morte acidental.

Publicidade