20 de abril de 2021 Atualizado 19:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Identificado adolescente encontrado morto em lagoa de Sumaré

Segundo informações preliminares, Allan Henrique Silva Santos, de 15 anos, nadava com amigos quando teria se afogado

Por Heitor Carvalho

07 abr 2021 às 15:39

Allan Henrique morava no bairro Matão, na área do Nova Veneza, na mesma região onde fica a lagoa - Foto: Reprodução

O corpo encontrado na manhã de segunda-feira (5) em uma lagoa de uma pedreira desativada em Sumaré foi identificado como sendo de Allan Henrique Silva Santos, de 15 anos de idade.

Segundo informações do 4.º DP (Departamento de Polícia) de Sumaré, onde a ocorrência foi registrada, a suspeita é que a causa da morte tenha sido afogamento, já que não havia sinais de violência no corpo.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O jovem morava no bairro Matão, na área do Nova Veneza, na mesma região onde fica a lagoa, localizada na Avenida Emilio Bosco, em uma propriedade particular no bairro Jardim Minnesota.

Ele desapareceu no final da tarde de domingo (4), por volta de 17h30. De acordo informações preliminares de testemunhas ouvidas pelo LIBERAL, alguns garotos, entre eles Allan, nadavam na represa, quando a vítima sentiu cãibras na perna.

Os amigos tentaram socorrer o menino e pediram ajuda, mas não houve tempo de resgatá-lo. Os bombeiros compareceram no local, ouviram as testemunhas sobre o caso e iniciaram as buscas até o pôr do sol.

A procura foi reiniciada na manhã de segunda-feira e o corpo do garoto foi encontrado por volta de 9h40, segundo o Corpo de Bombeiros de Sumaré, que deu auxílio aos bombeiros de Americana e Piracicaba.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

A Polícia Civil foi acionada e o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Americana. O sepultamento ocorreu na terça-feira (6) em um cemitério de Paulínia.

O LIBERAL tentou contato com a familiares da vítima, mas nenhum parente quis dar nenhuma declaração sobre o ocorrido e estão todos muito abalados.

Em nota, a Prefeitura de Sumaré alegou que o local é uma área particular e que é monitorada por seguranças, mas que pessoas frequentemente invadem o local para nadar, o que é muito perigoso.

Publicidade