28 de junho de 2022 Atualizado 11:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

HOMICÍDIO

Homem é encontrado morto após suposto tribunal do crime, em Sumaré

Arnaldo José de Santana Filho, de 48 anos, foi encontrado no Picerno; execução teria ocorrido após uma acusação de pedofilia

Por Isabella Holouka

17 de junho de 2022, às 17h21

O corpo de um homem identificado como Arnaldo José de Santana Filho, de 48 anos, foi encontrado na noite desta quinta-feira (16) em uma área de mata na Rua das Palmeiras, no Jardim Picerno, em Sumaré. Ele tinha marcas de violência e quatro perfurações causadas por disparos de arma de fogo. A suspeita é de que a vítima tenha sido executada em um suposto tribunal do crime após uma acusação de pedofilia.

Arnaldo estava desaparecido desde a última segunda-feira. Segundo o boletim registrado na Polícia Civil de Sumaré, que aponta homicídio como natureza da ocorrência, a PM (Polícia Militar) recebeu uma denúncia indicando a localização e identificação do corpo de Arnaldo.

No local, os investigadores tiveram acesso a um vídeo, elaborado por policiais militares que estiveram no local, em que sobrinhos da vítima apresentam conversas no WhatsApp com uma mulher que diz que Arnaldo estaria sob a custódia dos “irmãos” desde seu desaparecimento e que teria sido morto a tiros no dia seguinte, terça-feira.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

No vídeo, com a reprodução de um áudio da própria vítima, foi possível ouvir a defesa de Arnaldo contra uma acusação de pedofilia antes que fosse executado.

Segundo informações contidas no mesmo vídeo e coletadas por familiares de Arnaldo, alguém visualizou em seu aparelho fotos de uma criança, que seria filha da mulher. Ela teria confirmado o abuso com a menina de 10 anos e acionado o crime organizado para a execução de Arnaldo.

Peritos do IC (Instituto de Criminalística) de Americana compareceram ao local para verificação do estado da vítima, que foi atingida por três tiros na cabeça e por outro em uma das mãos. Uma equipe de agentes da Funerária Alves fez a remoção do corpo. O caso será investigado na Delegacia Seccional de Americana.

Publicidade