Em greve, motoristas protestam na prefeitura

Segundo os grevistas, o prefeito teria se comprometido a atender a categoria, o que não teria acontecido até o momento


Vídeo:

Os motoristas da Ouro Verde, que deflagraram greve no transporte municipal de Sumaré na manhã desta terça-feira (12), realizam protesto na frente do Paço Municipal. Eles reivindicam que o prefeito Luiz Dalben (PPS) atenda a categoria para discutir medidas para aumentarem a segurança dos motoristas.

Segundo os grevistas, o prefeito teria se comprometido a atender a categoria, o que não teria acontecido até o momento.

Segundo informações do sindicato, cerca de 300 motoristas participam do protesto, que teve início por volta das 7h30. Eles saíram em manifestação da garagem da Ouro Verde, na Avenida da Amizade, e seguiram, de ônibus, para o viaduto da Rua Três M, próximo da rodoviária. De lá, foram a pé para a prefeitura. Segundo o sindicato, a prefeitura deve receber a categoria em reunião agendada para às 14h30 desta terça-feira.

A Guarda Civil Municipal e a Polícia Militar acompanham o protesto. Algumas ruas no entorno da Prefeitura de Sumaré estão bloqueadas para o tráfego de veículos.

Procurada, a prefeitura confirmou o agendamento da reunião e repudiou a paralisação. “Mesmo depois da Prefeitura de Sumaré adotar todas as medidas cabíveis com relação ao caso de agressão e atender às reivindicações da categoria, agendando reunião para esta tarde com o sindicato, a Ouro Verde não cumpriu com suas responsabilidades e procedeu com a paralisação, prejudicando a população que depende do transporte público”, trouxe nota.

Foto: Marina Zanaki / O Liberal
Motoristas da Ouro Verde se concentraram em frente ao Paço Municipal

Os funcionários da Ouro Verde paralisaram o transporte municipal nesta terça-feira por tempo indeterminado para protestar contra agressões e ameaças sofridas pelos motoristas, após aprovação do movimento grevista junto ao Sindicato dos Trabalhadores nos Transportes Rodoviários de Americana e Região. O estopim para a deflagração da greve foi agressão de uma motorista da empresa por um perueiro na última quarta-feira.

Após o episódio, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana revogou a permissão do profissional e proibiu a circulação do veículo dele por um prazo de 15 dias.

Ao LIBERAL, a Ouro Verde reafirma que a greve foi convocada pelo sindicato. “Enquanto empresa, nos preocupamos com o atendimento aos usuários, porque a greve traz prejuízos a eles. Porém, desde 2013 vem acontecendo agressões contra nossos trabalhadores. Somos a favor que a Prefeitura de Sumaré e as demais autoridades tomem as providências cabíveis para que essas situações de agressões parem de acontecer”, informou a empresa.

Nesta segunda-feira, a Prefeitura de Sumaré disse que tinha notificado a Ouro Verde a manter o funcionamento dos ônibus da cidade. A empresa nega que tenha recebido a notificação.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!