09 de agosto de 2022 Atualizado 15:00

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Sumaré

Criminosos invadem subestação da CPFL, rendem vigilante e roubam caminhões e uniformes

Delegado considera a possibilidade de os caminhões e uniformes roubados serem utilizados em outras ações criminosas

Por Cristiani Azanha

03 de agosto de 2022, às 15h40 • Última atualização em 03 de agosto de 2022, às 22h51

Um grupo de assaltantes entrou na subestação da CPFL, no Matão, em Sumaré e fez um vigilante como refém, na madrugada desta quarta-feira (3). Ele foi obrigado a abrir o cofre e entregar seu revólver.

Os criminosos também levaram o colete balístico, 12 munições, 20 uniformes da concessionária com EPI (Equipamento de Proteção Individual), dois caminhões com guincho, ferramentas, 370 metros de cabos, micro-ondas e ferramentas. O caso está sendo apurado pelos policiais civis do 4º Distrito Policial de Sumaré. Ninguém foi preso.

Segundo a Polícia Civil, o vigilante de uma empresa terceirizada de segurança foi rendido no momento em que chegava ao trabalho. Os assaltantes já sabiam que a arma do funcionário estava guardada no cofre da subestação. Ele foi obrigado a abri-lo, após ser ameaçado de morte.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O vigilante não relatou quantos homens participaram da ação criminosa, no entanto, percebeu que eles se comunicavam com outros envolvidos por radiocomunicadores. Enquanto a quadrilha vasculhava o local, alguns dos suspeitos mandaram que o vigilante permanecesse em uma área de mato, por 30 minutos. A vítima fugiu em direção à rua e conseguiu localizar policiais militares que faziam patrulhamento nas imediações.

Investigação
A Polícia Civil iniciou a investigação na tentativa de identificar e prender os envolvidos. O delegado Diego Bini, que coordena a apuração, disse que considera a possibilidade de que os caminhões e uniformes roubados da concessionária possam ser utilizados em outras ações criminosas.

“Todas as hipóteses serão apuradas. A polícia também está buscando imagens das câmeras de segurança”, disse Bini.

A CPFL Serviços informou nesta quarta que tem ciência dos fatos e está à disposição das autoridades competentes para os esclarecimentos necessários.

Publicidade