20 de janeiro de 2022 Atualizado 19:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

TRAGÉDIA EM CAPITÓLIO

Corpo de morador de Sumaré e de filho ainda estão desaparecidos em Capitólio

Vítimas estavam todas em lancha que foi a mais atingida pelo desabamento de rocha no Lago de Furnas

Por João Colosalle

09 jan 2022 às 14:09 • Última atualização 09 jan 2022 às 16:23

A Polícia Civil informou na manhã deste domingo (9) que o corpo de um morador de Sumaré e do filho dele ainda estão desaparecidos no Lago de Furnas, em Capitólio, onde o desabamento de uma rocha matou dez pessoas que estavam em lanchas no local neste sábado (8).

O morador é Geovany Teixeira da Silva, de 37 anos, e o filho, um adolescente de 14 anos.

Atualização: na tarde deste domingo, dois corpos foram encontrados no local, segundo o Corpo de Bombeiros, elevando o número de vítimas para dez. Até às 16h, porém, ainda não havia confirmação se seriam de Geovany e do filho.

Conforme o LIBERAL mostrou, das oito vítimas confirmadas por meio de reconhecimento informal até agora, quatro são de Sumaré. Além de Geovany, também faleceram:

  • Maicon Doulgas de Osti, mecânico, que completaria 25 anos neste domingo
  • Camila da Silva, de 18 anos, namorada de Maicon
  • Carmem Pinheiro, de 43 anos, mãe de Camila e namorada da Geovany

Em conversa com jornalistas na manhã deste domingo, o delegado regional da Polícia Civil de Passos (MG), Marcos Pimenta, informou que as vítimas são familiares entre si e estavam em uma lancha em dez pessoas. Esta lancha foi a mais atingida pelo desabamento da rocha – outras três foram atingidas pelo deslocamento da água. “Ela praticamente esmaga, colide com a lancha”, afirmou.

Maycon, Camila, Carmem e Geovany estão entre vítimas de tragédia em Capitólio; todos moravam em Sumaré – Foto: Reprodução/Redes Sociais

Das oito vítimas, seis já foram retiradas do lago até a manhã deste domingo. Uma delas já foi formalmente reconhecida e já teve o corpo liberado para o sepultamento: Júlio Borges Antunes, de 68 anos, natural de Altinópolis.

As outras vítimas são um idoso de 67 anos e a esposa de 57, que são pais de Geovany. Há também outros homem, de 35 anos, e o piloto da lancha, de 40 anos.

A família estava hospedada em um rancho em São José da Barra, cidade vizinha a Capitólio.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Segundo o delegado, pelo fato de os corpos estarem em estado precário, o trabalho de identificação tem contado com informações de familiares, objetos pessoais e a atuação de papiloscopistas da Polícia Federal.

“Conseguimos foto desse pessoal antes de sair com a lancha, para o passeio. Analisamos materiais como anel, aliança, camiseta. Dá uma rapidez para ao menos acalentar o coração dessa família. A identificação formal vai levar um tempo maior”, comentou Marcos.

Repercussão

Por meio das redes sociais, o presidente da Câmara de Sumaré, Willian Souza (PT), e o deputado estadual Dirceu Dalben (PL) lamentaram o ocorrido. Ambos são moradores da mesma região das vítimas, que viviam no bairro Nova Terra.

“Um passeio turístico que terminou em tragédia. Estamos perplexos com o ocorrido em Minas Gerais. Nossos sinceros sentimentos aos familiares e amigos neste momento de muita dor. Que Deus conforte o coração de todos”, escreveu Willian, que é vizinho das vítimas.

Dirceu Dalben também comentou o episódio pelas redes sociais, ainda no início da madrugada deste domingo (9).

“Ainda impactado com a grande tragédia e com muito pesar, recebemos a informação sobre o falecimento de uma família do bairro Nova Terra, aqui do município de Sumaré, vítima da tragédia de hoje em Capitólio, em Minas Gerais. Que Deus conforte o coração de todos os familiares e amigos neste momento de dor e despedida. Nossos sinceros sentimentos”, escreveu deputado, que foi prefeito de Sumaré.

Tragédia

O desabamento ocorreu por volta de 11 horas de sábado, quando vários barcos passeavam pelo ponto turístico. Um grande pedaço de rocha desabou, atingindo ao menos dois barcos que estavam logo abaixo. Vídeos do ocorrido circulam nas redes sociais desde então.

Bombeiros fazem busca no Lago de Furnas, após desabamento de rochedo – Foto: Corpo de Bombeiros de Minas Gerais/Divulgação

O local onde ocorreu o acidente – o Lago de Furnas – é um dos principais pontos turísticos do Estado. A região tem águas calmas para navegação e mergulho e belezas naturais, como cachoeiras, que atraem turistas, inclusive, de Americana e região.

Publicidade