Com 8 unidades policiais, Sumaré possui somente três delegados

Município, o segundo maior da Região Metropolitana de Campinas, conta apenas com quatro delegados, porém, um deles inicia férias nesta quarta


A Polícia Civil de Sumaré conta a partir de hoje com apenas três delegados para atender oito unidades policiais. O município, segundo maior da RMC (Região Metropolitana de Campinas) com 258 mil habitantes, tem desde o ano passado só quatro delegados para responder por cinco DPs (Distritos Policiais), um Plantão Policial, uma DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) e uma cadeia. Um deles, no entanto, entra de férias nesta quarta-feira.

A falta de policiais civis, especialmente de delegados, foi alvo de uma representação no MP (Ministério Público) em agosto do ano passado. O autor, vereador Sérgio Rosa (PDT), pede providências quanto a contratação de profissionais para atuar na área de segurança pública do município sumareense.

“A situação da Polícia Civil em Sumaré é caótica. Já faz algum tempo que delegados se aposentam, são transferidos e não ocorre reposição. Na DDM, por exemplo, a delegada se aposentou e até hoje não foi substituída. Com isso, os delegados que restaram acabam cumprindo jornada até na delegacia da mulher”, denunciou o parlamentar.

A partir da representação do vereador, o promotor Gaspar Pereira da Silva Júnior propôs uma ação civil pública contra o governo do Estado de São Paulo. “Sumaré é a segunda cidade mais violenta da RMC. Em 2016, ostentou uma taxa de 16 homicídios, 979 furtos e 768 roubos por 100 mil habitantes. Além dessa dificuldade ‘natural’, o quadro da Polícia Civil está deveras deficitário – o que impossibilita o combate forte à criminalidade”, defendeu o promotor sobre o tema.

No documento, o MP pede à Justiça que acate a ação para que determine à Administração Pública que cumpra seu dever constitucional de segurança pública, “suprindo os cargos vagos e/ou criando os necessários à efetivação do serviço público no município de Sumaré”.

Segundo a assessoria do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), a ação ainda está na fase de conhecimento, em que o juiz questiona as partes se têm interesse em produzir provas, inquirir testemunhas ou apresentar questões a serem discutidas.

Foto: Sindesp / Divulgação
A presidente do Sindesp, delegada Raquel Kobashi Galinatti criticou a atual situação

Na tarde desta terça-feira, O LIBERAL ligou nos cinco DPs (Distritos Policiais) e na DDM e somente o delegado Pedro Cortegoso foi encontrado. Ele responde pelo 1º DP e devido à falta de mais profissionais, fala também em nome da delegacia do município e da cadeia, segundo apurou a reportagem.
O delegado Elias Kobayaschi, titular do 2º DP e responsável pela DDM, não foi localizado. Em uma das delegacias, a informação é de que ele entra de férias nesta quarta-feira. Já o delegado Marco Antônio Braga, que responde pelo 3º DP, não estava na unidade. De acordo com uma funcionária, ele só retorna na quinta-feira. O titular do 4º DP, Marcelo Moreschi, também não foi localizado. Segundo apurou O LIBERAL, ele fez plantão na madrugada desta terça-feira e, por isso, só retornaria ao trabalho hoje. O delegado responde ainda pelo 5º DP.

“O reflexo da falta de policiais civis, especificamente de delegados, é consequência da incompetência do governo do Estado de São Paulo, que não investe na Polícia Civil. E a principal vítima desse descaso é a população. O pilar dos direitos sociais, que é a segurança pública, está inviabilizando o exercício de outros direitos sociais como a saúde e a educação. Está deixando a população à mercê da criminalidade. A quem interessa uma Polícia Civil enfraquecida se não ao crime organizado”, declarou a delegada Raquel Kobashi Galinatti, presidente do Sindesp (Sindicato dos Delegados do Estado de São Paulo).

OUTRO LADO
Por meio da SSP (Secretaria de Segurança Pública), a Polícia Civil de Sumaré informou que, em um período de 15 dias, o município terá um delegado de férias. “É importante ressaltar que a Seccional de Americana estará atenta e, diante de qualquer necessidade, remanejará delegados de outras regiões para auxiliar no que for necessário”, afirmou, em nota.

Informou ainda que, desde 2011, a Seccional de Americana recebeu 107 policiais civis para a região, fortalecendo o efetivo ao longo dos anos, além do anúncio de concursos públicos para diversas carreiras da instituição.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!