21 de janeiro de 2021 Atualizado 00:02

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Referência

Após cobrança, reunião pode rever suspensão de atendimento pediátrico no HES

Secretário estadual de Saúde teria admitido para representantes dos governos de Hortolândia e Sumaré que o impacto foi maior do que o esperado

Por Talita Bristotti

13 jan 2021 às 11:37 • Última atualização 13 jan 2021 às 11:39

Representantes das prefeituras de Sumaré e Hortolândia participaram, nesta terça (12), de uma reunião com o governo paulista para cobrar a retomada dos atendimentos de pediatria no HES (Hospital Estadual Sumaré), suspensos desde a semana passada após corte na verba.

Na reunião, ficou acordada a realização de um novo encontro nesta quarta-feira (13) com o DRS-VII (Departamento Regional de Saúde) para entender melhor a situação. Segundo a Prefeitura de Hortolândia, há a expectativa de tentar reverter a suspensão, pelo menos, dos atendimentos pediátricos. O serviço oftalmológico também foi prejudicado com o corte de verbas.

O Hospital Estadual é uma das unidades de referência para atendimentos graves de pacientes da região. Com a suspensão dos atendimentos pediátricos e oftalmológicos, a CROSS (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) teria ficado com opções restritas de unidades de referência para envio dos pacientes graves.

Nesta terça-feira (12), os secretários de Governo e de Saúde de Hortolândia, e o prefeito de Sumaré, Luiz Dalben, estiveram em uma reunião com o secretário estadual de Saúde, Jean Carlo Gorinchteyn, e com o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, para debater o assunto. Participaram ainda o coordenador de convênios da Unicamp, Luiz Cláudio Martins, o diretor-superintendente do HES, Maurício Perrou, e o deputado estadual Dirceu Dalben, que intermediou o encontro.

Reunião debateu reflexos da suspensão de atendimentos pediátricos no Hospital Estadual Sumaré – Foto: Divulgação

“O secretário estadual de Saúde explicou a lógica dos cortes orçamentários que resultaram na suspensão destes atendimentos. Porém, ele nos disse que o impacto foi maior do que o esperado”, explicou Dênis André José Crupe, secretário de Saúde de Hortolândia.

Cobrança
O Ministério Público de Sumaré pediu ao superintendente do HES (Hospital Estadual Sumaré) e ao Departamento Regional de Saúde explicações sobre o fechamento das alas de oftalmologia e enfermaria em pediatria em virtude da queda no repasse de verbas do Estado.

Na semana passado, o governo paulista anunciou um corte de 12% no repasse mensal para santas casas e hospitais filantrópicos. No HES, a queda será de 6,5% e causará ainda a demissão de cerca de 100 funcionários, segundo o Sinsaúde (Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Campinas e Região).

Publicidade