Servidores de Santa Bárbara voltam a relatar atraso de salário

Funcionários ouvidos pela reportagem apontaram que não receberam 100% dos vencimentos na última sexta-feira; prefeito nega parcelamento


Foto: Arquivo / O Liberal
Governo Denis Andia (PV) diz que salários não foram parcelados

Seis meses depois de retomar o pagamento integral dos servidores públicos, a Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste voltou a parcelar os salários neste mês. Funcionários ouvidos pela reportagem apontaram que não receberam 100% dos vencimentos na última sexta-feira.

Presidente da CEI (Comissão Especial de Inquérito) na câmara que investigou a situação no começo do ano, o vereador José Antonio Ferreira, o Dr. José (PSDB) diz ter sido procurado por funcionários. O parlamentar pretende questionar a prefeitura, que sustenta que a informação não procede e que os salários estão em dia.

Desde o final do ano passado, a prefeitura negava a prática tanto em resposta de requerimentos dos vereadores quanto em contatos do LIBERAL. A primeira vez que um membro do governo Denis Andia (PV) admitiu parcelamento foi em 22 de fevereiro deste ano.

Em audiência na câmara, a ex-secretária de Fazenda Raquel Campagnol disse que a situação era reflexo da arrecadação abaixo do esperado do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços).

Já em maio, durante as oitivas da CEI, o secretário de Governo, Rodrigo Maiello, e a ex-secretária de Fazenda admitiram que o parcelamento começou em 2015 e perdurou até fevereiro deste ano. Entre 2017 e 2018, o fracionamento ocorreu em todos os meses. Entretanto, desde março o pagamento estava sendo realizado integralmente no quinto dia útil.

“O prefeito pagou só o salário base dos funcionários. Tem gente que recebeu R$ 600. Houve parcelamento mesmo. A informação que a gente tem lá no Departamento Pessoal é que amanhã que vai ser paga as horas extras, adicional noturno”, comentou um servidor do Meio Ambiente que pediu para não ser identificado.

Dr. José afirma que alguns servidores receberam parte do salário base. Outros não teriam recebido as horas extras. O relatório final da CEI ainda aguarda parecer jurídico da Casa, mas o vereador pretende questionar a prefeitura sobre o novo atraso.

“Eu fico surpreso porque princialmente na Saúde houve uma diminuição tremenda de horas extras e voltou a ter parcelamento. É inacreditável que nosso município esteja passando por isso. Falta planejamento, fluxo de caixa para que a prefeitura possa arcar com o pagamento integral”, afirmou Dr. José.

OUTRO LADO. Questionada, a prefeitura sustenta que a informação não procede. “Não houve parcelamento. Os salários do mês de agosto foram pagos na sexta-feira (6)”, traz a nota.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora