Secretária de S. Bárbara aponta falta de vagas em hospitais da região

Prefeitura de Santa Bárbara alega dificuldade para transferir pacientes para unidades estaduais de Campinas e Sumaré


A secretária de Saúde de Santa Bárbara d’Oeste, Lucimeire Cristina Coelho Rocha, reclamou de falta de vaga para pacientes da cidade no Hospital de Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e no HES (Hospital Estadual de Sumaré). Ela revelou a situação nesta quarta-feira (28), na Câmara Municipal, durante audiência de prestação de contas.

Segundo Lucimeire, essas duas unidades são as referências do município para casos de alta complexidade, o que inclui as áreas de ortopedia, cardiologia e oncologia. Ela afirmou, no entanto, que a prefeitura não tem conseguido transferir pacientes para esses locais. “Estamos no enfrentamento com o próprio estado. Estamos pedindo soluções para que eles nos dê uma alternativa do que vamos fazer, porque o paciente é nosso, mas a solução é deles”, disse.

Foto: Prefeitura de Santa Bárbara d'Oeste / Divulgação
Secretária de Saúde de Santa Bárbara d’Oeste, Lucimeire Cristina Coelho Rocha, reclamou de falta de vaga para pacientes da cidade em hospitais da região

A secretária ressaltou que esses hospitais também atendem pessoas de outras regiões e Estados, o que influencia no problema de falta de vagas. “A nossa região aqui acaba ficando sem vaga para fazer esses procedimentos”, comentou.

A Secretaria Estadual de Educação comunicou que quase a totalidade dos pacientes atendidos no HES são provenientes da região de Campinas. Desses, cerca de 90% vivem em Americana, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa, Santa Bárbara d’Oeste e Sumaré. “É importante destacar que o governo do Estado custeia integramente, sem nenhuma contrapartida dos municípios, oito unidades de saúde em funcionamento na região de Campinas”, ressaltou.

A pasta apontou que tem feito investimentos na região, mas ressaltou que a criação de novos leitos não é uma prerrogativa exclusiva do Estado.

Defasagem

A secretária municipal de Fazenda, Raquel Campagnol, informou que Santa Bárbara arrecadou R$ 487,3 milhões em 2017, mas a expectativa inicial era de R$ 571,2 milhões. Um dos motivos para essa defasagem foi a queda de arrecadação de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e IFPM.

“Com a crise, tanto a governo estadual como federal têm liberado menos recursos para os municípios, então isso tem frustrado também a arrecadação”, declarou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora