SB contrata empresa de vigilância para obra paralisada

Terceirizada será responsável pela segurança do prédio da UPA Santa Rita, que teve as obras paralisadas em 2012


A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste assinou nessa terça-feira contrato com a empresa Naviseg Segurança e Vigilância Eireli EPP, que será responsável pela vigilância e segurança patrimonial desarmada da obra da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Santa Rita, paralisada desde 2012. O vínculo é valido por 12 meses e custará R$ 189 mil aos cofres públicos. O extrato do contrato entre as partes foi publicado ontem no Diário Oficial.

O prazo original de entrega da UPA era agosto de 2012. Entretanto, após o contrato com a empreiteira responsável ser rescindido, a obra foi interrompida e segue sem data definida para ser retomada. Atualmente, o mato alto invade a calçada do local e a unidade não tem portas ou janelas. O estado de abandono do prédio já foi mostrado pelo LIBERAL em diversas oportunidades.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
UPA Santa Rita está atualmente com mato alto invadindo a calçada; unidade não tem portas ou janelas e sofre com abandono

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste, até então o serviço de segurança era realizado por funcionários públicos. Com a terceirizada, quatro funcionários vão trabalhar em esquema de escala, 24 horas por dia, sete dias por semana, para realizar a fiscalização do prédio que está vazio.

Desde o ano passado a prefeitura negocia com o Ministério da Saúde para retomar as obras, mas com outra destinação. Há o entendimento na Secretaria de Saúde da cidade de que o modelo de UPA 24 horas seria inviável naquela região.

Questionada sobre o andamento da negociação, a prefeitura disse que “abriu-se uma oportunidade” graças a um “decreto presidencial”, mas não explicou a qual documento se referia. “Com recente decreto presidencial e consequente regulamentação ocorrida, abriu-se uma oportunidade para que o município possa assumir a obra e concluí-la”, traz a nota.

O LIBERAL perguntou qual era o decreto, como isso poderia afetar o andamento da obra e se havia algum prazo previsto, tanto para a retomada quanto para entrega. A resposta, novamente, não esclareceu as dúvidas. “Sobre a UPA, obra será retomada em breve. Equipes de vigilância farão a segurança do espaço”, disse a assessoria.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora