Santa Bárbara voltará a ter radar em até 30 dias

Empresa vencedora é a mesma que já operava na cidade e contrato é válido por um ano


A fiscalização com radares em Santa Bárbara d’Oeste deve ser retomada em até 30 dias, de acordo com a prefeitura. O prazo é necessário para que a DCT Tecnologia, vencedora da licitação, termine os testes iniciais e o contrato seja homologado.

A empresa é a mesma que já operava na cidade até março de 2018, quando o contrato venceu. Desde então não havia fiscalização eletrônica no município e a licitação para seleção de uma nova prestadora chegou a ser adiada duas vezes.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Nesta segunda funcionários fizeram testes na Avenida Santa Bárbara

Segundo informações da assessoria de imprensa da prefeitura, a empresa está realizando os testes de aceite do equipamento desde a semana passada, ou seja, escolhendo os pontos e fazendo os testes nos equipamentos que serão utilizados. Nessa segunda-feira, membros da empresa realizavam esse procedimento na Avenida Santa Bárbara.

Caso todo esse procedimento esteja nos padrões exigidos no edital, o contrato poderá ser homologado e assinado entre as partes. Depois desse período, que deve levar 30 dias, os aparelhos já poderão operar e multar os infratores. A duração do vínculo é de 12 meses, prorrogável por mais 12. O valor do contrato é de R$ 1,370 milhão por ano.

O primeiro edital foi publicado em agosto de 2018 e suspenso semanas depois para revisão técnica das exigências à futura contratada. Em dezembro, o documento foi novamente publicado e contava com alguns acréscimos, como a “blitz eletrônica”, para que os radares de velocidade e avanço de sinal ajudassem os agentes de trânsito a identificarem veículos em situação irregular.

Porém, no dia 20 de dezembro, véspera da abertura dos envelopes com as propostas, o pregão foi suspenso. Na época, a prefeitura disse apenas que o material passaria por “revisão técnica”. Já o último edital trouxe poucas alterações. A mais significativa é que empresas inseridas em consórcios estão autorizadas a participar do certame.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora