21 de janeiro de 2021 Atualizado 20:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

À beira do colapso

Santa Bárbara tem fila e morte pela Covid-19 à espera de vaga de UTI

Sobrecarga no sistema barbarense fez uma vítima fatal nesta quarta-feira e não está restrita a pacientes com coronavírus

Por Marina Zanaki

18 jun 2020 às 08:44 • Última atualização 18 jun 2020 às 10:49

A sobrecarga no sistema de saúde de Santa Bárbara d’Oeste, que desde a semana passada está com as UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) lotadas, já está provocando a morte de pacientes.

Nesta quarta-feira, o pedreiro Aparecido Vieira, de 57 anos, morreu com o coronavírus no pronto-socorro Edison Mano.

Ele esperava desde a última sexta-feira uma vaga de UTI, mas o leito foi liberado apenas na madrugada de ontem no Hospital Estadual Sumaré por meio de ação da Cross (Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde).

Como o quadro do pedreiro havia se agravado, com insuficiência renal do paciente, a transferência não foi possível.

Sua filha, a biomédica Andreza, acredita que a morte do pai foi provocada por negligência do município. Ela disse que estuda entrar com um processo judicial.

“Não vai mais trazer ele de volta, mas vou pedir o prontuário e abrir um boletim de ocorrência”, disse.

A prefeitura havia informado na noite de terça (quando ele ainda esperava o leito), que a vaga havia sido solicitada e que o paciente estava em uma UTI semi-intensiva com respirador, sendo monitorado e medicado até que a transferência fosse realizada.

Prefeitura prometeu 10 novos leitos no Hospital Santa Bárbara – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal_9.6.2020

O problema não está restrito aos pacientes do novo coronavírus. No dia 11 de junho, Valderez Aparecida Pinto de Oliveira, de 66 anos, morreu no Edison Mano. Ela sofreu um infarto no dia 9 e desde então esperava uma vaga na UTI.

Segundo o advogado Joel Oliveira, irmão da paciente, a família conseguiu uma vaga no Hospital Fornecedores de Cana de Piracicaba. Contudo, o encaminhamento não foi liberado.

“Os médicos estavam pedindo para tirar ela de lá porque não conseguiam dar sustentação, e tinha vaga a 20 minutos daqui”, lamentou o advogado. A Secretaria de Saúde do município disse que a liberação para Piracicaba não ocorreu pois não foi autorizada pela Cross.

A Secretaria do Estado da Saúde afirmou que em nenhum momento foi relatado diretamente à Cross que havia disponibilidade de leito no Hospital Fornecedores de Cana. A pasta municipal foi questionada sobre a divergência, mas não respondeu.

Estrutura
Santa Bárbara tem 15 leitos de UTI para o SUS, cinco deles exclusivos para Covid-19, mas todos estão lotados. A prefeitura anunciou que 10 novos leitos devem ser abertos ainda esta semana no Hospital Santa Bárbara, sete deles exclusivos para Covid-19 e três para atendimentos gerais.

A ampliação foi possível depois que a câmara aprovou alteração no convênio que a prefeitura mantém com o Hospital Santa Bárbara e possa repassar para a entidade recursos financeiros do Fundo Municipal de Saúde e também do Ministério da Saúde.

Após ser questionada sobre o caso de Aparecido Vieira, a prefeitura disse que instalaria cinco leitos até hoje. O LIBERAL pediu uma entrevista com a Secretária de Saúde, Lucimeire Coelho. A assessoria informou que ela esteve em agenda externa.

Podcast Além da Capa
A pandemia do novo coronavírus completa três meses com a certeza de representar o maior desafio da carreira de gestores públicos em saúde, como é o caso dos secretários que atuam em cidades da região. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com os responsáveis pelas pastas em Americana, Santa Bárbara e Nova Odessa sobre a experiência forjada pela crise.

Publicidade