Santa Bárbara tem disparada de mortes no trânsito

Dados do Infosiga mostram que cidade registrou o maior aumento percentual entre as cidades da Região do Polo Têxtil


De janeiro a setembro deste ano, o número de mortes no trânsito em Santa Bárbara d’Oeste cresceu 157% em relação ao mesmo período do ano passado, o maior aumento percentual entre as cinco cidades da RPT (Região do Polo Têxtil). Os dados são do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo).

As fatalidades na cidade vão na contramão do Estado de São Paulo, que teve redução de 4,1% de um ano para o outro. Santa Bárbara, no entanto, não foi o único município da RPT com alta nas estatísticas. Americana e Sumaré tiveram aumento de 50% e 117%, respectivamente.

Santa Bárbara d’Oeste registrou sete mortes entre janeiro e setembro de 2018, enquanto aconteceram 18 óbitos no mesmo período deste ano. Ou seja, crescimento percentual de 157%.

Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal
Cruzamento problemático da Avenida São Paulo recebeu lombada recentamente

Apesar de a cidade estar sem radares desde fevereiro de 2018, o secretário de Segurança, Trânsito e Defesa Civil, Rômulo Gobbi, disse que não é possível estabelecer uma relação direta com o aumento de acidentes fatais. A fiscalização deve ser retomada em dezembro.

“O diagnóstico dessas causas estão sendo levantados, já estão quase atualizados até o mês de outubro e depois dele pronto, a gente vai fazer comparação com 2018 e verificar as medidas de contenção”, disse Gobbi.

O secretário apontou que um dos fatores que contribuíram para a alta foi a implantação do Corredor Metropolitano. Ele diz que três mortes ocorreram ao longo do trecho e citou o caso de uma idosa que morreu atropelada na Avenida São Paulo no dia 8 de setembro.

“A terceira morte ocorreu num local que é sinalizado com faixa e semáforo, a pessoa foi imprudente”. O secretário acredita que houve redução no “número geral de acidentes”, mas não citou números.

Região

Sumaré foi a cidade da RPT com mais mortes no trânsito em 2019. Foram 26 fatalidades contra 12 no ano passado. A prefeitura foi procurada para comentar, mas não houve resposta até o fechamento desta reportagem.

Já Americana viu os acidentes fatais saltarem de 14 para 21 em um ano. O Executivo disse que as estatísticas mostram que “o comportamento de condutores e pedestres é o maior fator de risco”. “O Infosiga ainda não disponibiliza os dados de cada acidente para que possamos fazer uma análise mais apurada das causas de cada ocorrência”, disse a prefeitura.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora