24 de fevereiro de 2021 Atualizado 12:22

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Santa Bárbara aguarda definições do Estado para divulgar plano de vacinação

Prefeito Rafael Piovezan garantiu que plano está pronto e que falta só o Estado confirmar alguns detalhes para lança-lo

Por Leonardo Oliveira

15 jan 2021 às 14:41 • Última atualização 15 jan 2021 às 19:35

Piovezan disse que aguarda apenas algumas informações do Estado para tornar público o plano - Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

A Secretaria de Saúde de Santa Bárbara d’Oeste deve divulgar, nos próximos dias, o plano de vacinação contra o novo coronavírus (Covid-19). Em entrevista concedida à Rádio Santa Bárbara FM, que pertence à prefeitura, o prefeito Rafael Piovezan (PV) disse que aguarda apenas algumas informações do Estado para tornar público o plano.

Segundo o prefeito, todos os locais de vacinação e de armazenamento das vacinas e insumos já foram definidos, mas há uma preocupação em confirmar alguns detalhes com o Governo do Estado de São Paulo.

O número de vacinas que chegarão para a primeira etapa é um deles, já que não se sabe se haverá número suficiente de imunizantes para cobrir toda a população que faz parte do público alvo da primeira fase – em Santa Bárbara são 22,9 mil pessoas, entre idosos e profissionais da saúde.

“Santa Bárbara tá preparada, a equipe de saúde já preparou ele [plano], já deixou tudo em ordem. O que o município precisa fazer para receber todos os insumos e as vacinas do Governo do Estado já está pronto. Estamos aguardando a chegada desses materiais e vamos fazer, a partir dos próximos dias, toda a divulgação dos pontos de vacinação, de como vai funcionar”, afirmou Piovezan.

A data em que os municípios receberão as primeiras doses também é uma das informações que Piovezan quer buscar antes de lançar o plano. A Coronavac, da biofarmacêutica chinesa Sinovac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, ainda não foi aprovada.

Já há um pedido emergencial para o uso do imunizante e a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) marcou para este domingo (17) uma reunião para decidir se aprova o pedido para uso temporário – na ocasião também será avaliado uma requisição para uso da vacina da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

“É importante dizer que estamos tratando isso com responsabilidade para que a população, no tempo certo, receba todas as informações pertinentes, tenha publicidade de tudo isso e para que faça o procedimento de vacinação com normalidade, segurança e com compromisso para o cidadão, com a saúde das pessoas”, acrescentou o prefeito.

Também em entrevista, Piovezan voltou a defender a importância de se vacinar. “Tenho certeza de todos aqueles pesquisadores, o quanto eles tem seriedade no trabalho deles, nas pesquisas, em tudo isso, e de que a vacinação é algo que vai trazer segurança para todos aqueles profissionais de saúde”, defendeu.

Questionado pelo LIBERAL sobre a possibilidade de usar o esquema drive trhu, em que as pessoas são vacinas nos carros, o chefe do executivo afirmou que “está olhando para todas essas questões” e que, se necessário, vai colocar em prática “todas elas”.

Publicidade