Salário de servidores atrasa em Santa Bárbara

Servidores alegaram que não receberam integralmente no quinto dia útil; prefeitura reforçou que os salários estavam quitados


Funcionários públicos da Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste afirmaram ao LIBERAL que o salário de janeiro, que deveria ter sido pago no dia 7, não foi quitado integralmente no quinto dia útil. Entre os servidores da Saúde a situação já se arrastaria há quatro meses, de acordo com o vereador José Antonio Ferreira, o Dr. José (PSDB), que é médico concursado no município.

A reportagem apurou que alguns servidores públicos receberam o restante do salário nessa quinta-feira. Ainda na quarta-feira, a prefeitura negou o problema e disse que os salários estavam quitados, sem especificar a data em que o pagamento integral teria ocorrido.

Segundo um funcionário de 51 anos, que pediu para não ser identificado, somente os servidores que recebem até R$ 2.200 por mês tiveram o salário quitado integralmente no dia 7. Quem tem vencimentos superiores recebeu apenas R$ 2.200.

“O salário é a primeira vez que começa a atrasar. Tinha que ter pago na segunda-feira, dia 7. Pagou parcial. Até R$ 2.200 pagaram e o resto não sabe, não falou nada”, contou.

O problema também foi relatado pelo Dr. José. Médico concursado desde 1992, o vereador atua no Pronto Socorro “Dr. Edison Mano” e na Unidade Modular Dr. Afonso Ramos. Ele afirma que os servidores da Saúde têm convivido com “salários picados” há quatro meses.

“Houve pagamento de no máximo R$ 2.200, vão pagar o restante na sexta-feira agora e no dia 15 vão pagar as horas extras. Já está assim há quatro meses. Nunca paga integral no 5º dia útil”, afirmou Dr. José. Os prazos teriam sido informados ao parlamentar por um coordenador do Edison Mano.

De acordo com o diretor do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Santa Bárbara d’Oeste, Júlio Vexel, nenhum servidor procurou o órgão para relatar o problema. “Se a gente soubesse já teria sido tomada providência, assim como foi com o 13º. Estou achando estranho deles não terem ligado”, comentou.

Em requerimento de 14 de novembro do ano passado, o vereador Paulo Monaro (SD) apontava que os salários dos servidores vinham sendo pagos de forma parcelada. O documento também perguntava sobre a previsão de pagamento do 13º, que ainda não foi quitado. Na resposta, em 2 de janeiro, a prefeitura não se manifestou sobre o parcelamento dos salários.

Na quarta-feira à tarde, o LIBERAL questionou por e-mail a assessoria de imprensa da prefeitura. Nesse primeiro contato, a reportagem ainda não tinha entrevistado o vereador Dr. José. À noite, por WhatsApp, a assessoria disse que a informação não procedia e que os salários estavam quitados.

Diante da resposta, o LIBERAL citou o que foi exposto pelo parlamentar e questionou se haviam atrasos pontuais. Um novo e-mail foi enviado ainda na quarta à noite, mas não foi respondido.

Em contato por telefone, a assessoria da prefeitura reforçou que os salários estavam quitados, mas não confirmou a data em que ocorreu o depósito. A reportagem cobrou novamente o dia do depósito, mas não houve retorno até o fechamento desta edição.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!