Número de roubo de carga dispara em Santa Bárbara – O Liberal

Número de roubo de carga dispara em Santa Bárbara

Delegado afirma que a estatística é "ilusória" porque maioria dos crimes acontece fora, mas acaba sendo registrada na cidade


O número de roubos de carga registrados em Santa Bárbara d’Oeste mais que dobrou de janeiro a novembro de 2019 em comparação com o mesmo período do ano passado, e atingiu o maior patamar da série histórica iniciada em 2002. Dois delegados da cidade, porém, contestam a estatística.

De acordo com dados da SSP (Secretaria Estadual da Segurança Pública), entre janeiro e novembro deste ano foram registrados 19 roubos de carga em Santa Bárbara. No mesmo período do ano passado, houve nove.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Estradas são os principais locais de roubos de cargas em Santa Bárbara

Delegado titular do município, Reynaldo Peres diz que a estatística é “ilusória”. Em sua visão, a maioria dos crimes acontece em outra cidade e o fato acaba registrado em Santa Bárbara porque a vítima ou a carga foram abandonadas no território barbarense.

“Roubo de carga não aumentou tanto assim, não”, afirmou Peres ao LIBERAL. “[O ladrão] Abandona a carga aqui, ou abandona o motorista por aqui. Aí ele vem fazer a ocorrência. Mal sabe onde foi o roubo. É meio que ilusória essa estatística”, disse Peres.

O delegado Gelson Barreto, do 1º DP (Distrito Policial), também afirma que a maioria dos roubos é cometida em outra localidade. Segundo Barreto, a área de cobertura do 1º DP abrange a maior parte da malha viária do município.

Questionada se compartilha da visão do delegado titular do município – de que a maioria dos roubos acontece fora da cidade – e se há dificuldade para mapear e direcionar o combate a esse tipo de crime por causa disso, a SSP ignorou as perguntas.

Em nota, a secretaria afirmou que a Polícia Civil intensificou as ações de combate ao roubo de carga, com núcleos específicos em delegacias seccionais e reuniões periódicas com a PM.

MODUS OPERANDI

O tenente Bruno Lopes Ribeiro, comandante do policiamento rodoviário em Santa Bárbara d’Oeste, diz que o modo de agir dos ladrões é bem semelhante, mas não é possível afirmar, só com base nisso, que se trata de uma mesma quadrilha.

“Quando não é um veículo que já encosta do lado abordando o caminhoneiro, é alguém, uns dois, três carros que passam falando que tem alguma coisa solta atrás, alguma coisa que faça o motorista estacionar o veículo.”

Boletins de ocorrência disponibilizados pelo tenente à reportagem mostram que houve, entre janeiro e novembro, quatro roubos e três tentativas de roubos de carga nas estradas que cortam Santa Bárbara – em muitos casos, afirma Ribeiro, a vítima procura diretamente a delegacia, sem passar pela Polícia Rodoviária. Dos quatro roubos, três foram de cargas de combustíveis.

Segundo o tenente, a PM Rodoviária direciona a ronda para os horários e locais com maior incidência de crimes e também faz patrulhamento em postos de combustíveis onde há aglomeração de caminhoneiros – locais onde são registrados parte dos crimes.

O presidente do Conselho Municipal de Segurança, Jeferson Rodrigues Ribeiro, diz que também desconhecia o aumento e que vai questionar as autoridades no próximo encontro do grupo.
De acordo com os dados da SSP, a maioria dos crimes foi registrada na área do 1º DP – 12 dos 19 delitos do ano.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora