Procurador destaca acompanhamento de servidores em SB

Audiência foi realizada dentro de processo que apura denúncias de assédio que teriam sido cometidas por coordenador em Santa Bárbara


Em audiência realizada no MPT (Ministério Público do Trabalho) de Campinas nesta sexta-feira, o Procurador do Trabalho Eduardo Luis Amgarten destacou a importância de realizar acompanhamento da saúde mental dos trabalhadores de Santa Bárbara d’Oeste.

A audiência foi realizada após denúncia encaminhada por servidores relatando situações de assédio moral que teriam sido cometidas pelo coordenador dos prontos-socorros, Ivan Luiz Carpim.
De acordo com a ata da reunião, o promotor também propôs a assinatura de um novo TAC (Termo de Ajustamento de Conduta). O município já havia assinado um termo em 2004 após denúncias de assédio moral, mas há indícios de descumprimento, segundo o MPT.

Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Pronto-socorro Edison Mano é um dos coordenador por Ivan Carpim

Amgarten destacou a necessidade de existir um canal adequado para apurar denúncias realizadas pelos servidores. Estiveram presentes na audiência três representantes do município, incluindo um advogado. Foram ouvidas também testemunhas, cujos depoimentos serão mantidos em sigilo.

No abaixo-assinado entregue ao MPT com as denúncias constam situações de troca de nomes de funcionários usando alguns como sinônimo de incompetência, servidores que foram constrangidos por serem gordos, entre outras situações vexatórias. Houve inclusive afastamento da função por quadros de depressão desencadeados pelo ambiente de trabalho.

O Ministério Público do Trabalho deve realizar outras audiências, em datas a serem designadas. A Prefeitura de Santa Bárbara d’Oeste disse que, por enquanto, não vai se manifestar. Procurado anteriormente, o coordenador Carpim não quis se pronunciar sobre as acusações.

Defesa

Na audiência, representantes do município explicaram que há uma “situação peculiar” por conta do remanejamento da escala de enfermagem, o que causou desconforto entre os funcionários. Eles garantiram que as mudanças propostas estavam dentro da legalidade.

Ainda segundo a ata, o município declarou que foi instaurado processo administrativo após a denúncia dos servidores – que também foi entregue à prefeitura. Indicou ainda que foi emitida orientação e que “o serviço de enfermagem está sendo adequado”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora