21 de abril de 2021 Atualizado 00:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Santa Bárbara

Primeira sessão presencial da câmara tem confronto sobre CEI da Saúde

Encontro desta terça teve debate acalorado entre vereadores, xingamentos e abandono de sessão

Por Leonardo Oliveira

02 mar 2021 às 21:00

A volta das sessões presenciais na Câmara de Santa Bárbara d’Oeste teve acalorada discussão sobre a tentativa do vereador Eliel Miranda (PSD) de criar uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para investigar a demora do técnico de informática Daniel Hauan Santana, de 30 anos, em conseguir uma cirurgia.

O parlamentar afirma que o objetivo é investigar se há outros casos parecidos com o de Daniel e a conduta da prefeitura no tratamento ao paciente, que aguarda por uma cirurgia desde agosto do ano passado e teme perder sua perna.

Falta apenas uma assinatura para alcançar o número suficiente de adesões  para instaurar a comissão, que foi o tema central da sessão nesta terça. Vereadores que optaram por não aderir à iniciativa acusaram Eliel de populismo em cima de uma tragédia e travaram longo embate no plenário.

Celso Ávila (PV) e Uruguaio (MDB) também protagonizaram uma discussão sobre episódios ocorridos em legislaturas passadas, que terminou em xingamentos. Os dois tiveram que sair do plenário para encerrar o embate em área interna da câmara.

Os vereadores acabaram pedindo o tempo de fala da maioria dos parlamentares para tratar dessas discussões, o que irritou a vereadora Esther Moraes (PL), que deixou a sede do poder legislativo antes do fim da sessão.

“Eu não fui eleita para ficar ouvindo esse papelão de um monte de vereador homem que não consegue se respeitar e acha que pode desrespeitar a nossa fala”, disse.

“Vários vereadores tinham muitos assuntos para discutir e acredito que os assuntos foram descarregados todos na primeira sessão. Como é uma sessão experimental, na próxima vamos nos organizar melhor para que haja um consenso melhor dos vereadores, vamos aumentar um pouquinho do tempo da fala”, afirmou o presidente da casa, o vereador Joel Cardoso, o Joel do Gás (PV).

Vereadores contrários à Comissão Especial de Inquérito criticaram o pedido protocolado, alegando, dentre vários motivos, que houve precipitação na iniciativa e que não houve diálogo na tentativa de conseguir as assinaturas.

“Alguns já falaram que não vão assinar, mas eu acredito que, com o passar do tempo, eles vão se conscientizar, porque a investigação é boa, inclusive, para o prefeito. É uma questão da investigação que nós deveríamos fazer para qualquer tipo de problema na cidade”, disse Eliel, em entrevista, após a a sessão.

A conduta da prefeitura no caso é questionada pelo vereador com base em uma matéria do LIBERAL – nela, o Estado informou que o encaminhamento do paciente através do sistema Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) só foi enviado pela prefeitura após o questionamento da reportagem.

Daniel é internado na Santa Casa à espera de cirurgia

Um acidente de trânsito em 2019 mudou a vida do técnico de informática Daniel Hauan Santana, de 30 anos. O morador de Santa Bárbara coleciona, desde então, internações em unidades de saúde da cidade e aguarda, desde julho do ano passado, por uma cirurgia na perna para poder voltar a andar.

Vereadores da cidade, liderados por Careca do Esporte (Patriota), se mobilizaram para tentar resolver a situação do técnico diante da demora em conseguir o procedimento. Os parlamentares conseguiram uma consulta médica para Daniel com um ortopedista da rede particular – que se sensibilizou com o caso e passou a cotar valores.

Cerca de R$ 50 mil seriam necessários para fazer a cirurgia em um hospital particular, mas há uma busca para reduzir esse montante. Parlamentares conseguiram que Daniel fosse internado nesta terça-feira no Hospital Santa Bárbara, o que já tirou R$ 10 mil do custo de internação.

O paciente precisará de uma prótese de cerca de R$ 22 mil e os vereadores tentam fazer com que a Secretaria de Saúde assuma esse valor, segundo Daniel. Aí faltariam R$ 15 mil, necessários para pagar cinco médicos especialistas para realizar a cirurgia.

Durante a sessão desta terça, o vereador Reinaldo Casimiro (Podemos) se comprometeu a doar o seu salário integral do mês de março para ajudar a custear o procedimento.

“Parece que as coisas estão acontecendo depois de tanta repercussão na mídia. Aí vai ficar só os R$ 15 mil dos ortopedistas, eu achei que vai ficar muito barato. Tem especialista que vai vir de Jundiaí, junto com quatro ortopedistas”, disse o paciente ao LIBERAL.

Publicidade