05 de março de 2021 Atualizado 16:19

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Santa Bárbara

Prefeitura realiza estudo sobre tráfego de veículos na Avenida São Paulo

Objetivo é decidir se alguma intervenção pode ser feita para melhorar a estrutura da via, que tem colecionado vários acidentes

Por Leonardo Oliveira

22 jan 2021 às 08:51 • Última atualização 22 jan 2021 às 09:03

Um estudo vem sendo realizado pela Secretaria de Segurança, Trânsito e Defesa Civil de Santa Bárbara d’Oeste para avaliar o tráfego de veículos na Avenida São Paulo, que tem sido um dos locais da cidade com maior número de acidentes de trânsito.

A informação foi revelada pelo prefeito Rafael Piovezan (PV), durante entrevista ao programa Gold Morning desta quinta-feira, transmitido pelas rádios FM Gold (94.7) e Rádio Clube (AM 580).

Os radares seguem sem funcionar devido um problema jurídico, mas a licitação deve ser aberta ainda neste mês – Foto: Arquivo / O Liberal

“Na Avenida São Paulo eu pedi para o nosso secretário para fazer um levantamento lá em alguns pontos que são os trechos de maior dificuldade que a gente encontra”, disse.

Ao LIBERAL, o secretário Rômulo Gobbi, responsável pela pasta, disse que o pedido foi feito logo no primeiro dia de mandato do novo prefeito e que o estudo já foi iniciado. A secretaria começou a levantar os dados dos últimos anos para verificar se há algo que possa ser feito para melhorar o fluxo.

“O número de acidentes no geral, em 2020, é menor do que 2019. Só que uma ou outra moto que colide e ocorre a morte dá impressão de que piorou. O óbito causa a sensação de mais acidentes”, disse Gobbi.

Na entrevista, Piovezan fez questão de ressaltar que a prefeitura já realizou intervenções no local, como a instalação de radares, lombadas e semáforos. “Isso foi tudo feito e, eventualmente, o que acontece é que as pessoas extrapolam o limite e acabam entrando em ações inseguras que acabam, muitas vezes, custando a vida”, disse.

A cidade, no entanto, segue com os aparelhos de fiscalização eletrônica sem funcionar, por um imbróglio judicial. Uma licitação deve ser aberta até o final deste mês para contratar uma nova empresa que irá administrar o serviço. A previsão de Gobbi é entregar esse estudo ainda em janeiro para o prefeito.

“O pessoal [da secretaria] foi para o local e, agora, nós vamos nos reunir nos pontos da avenida [para decidir] se cabe mais radar, se cabe lombada, se cabe estreitamento, um semáforo, vamos ver. É um levantamento completo para saber o que deve ser feito para melhorar”, concluiu Gobbi.

Publicidade