21 de maio de 2022 Atualizado 15:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Recuperação Judicial

Prédio da Unimep em Santa Bárbara pode ser vendido

Imóvel que abrigava campus da universidade está incluso em plano de recuperação judicial apresentado pela Metodista; local abriga Hospital de Campanha

Por Marina Zanaki

13 Julho 2021, às 07h38 • Última atualização 15 Julho 2021, às 10h43

O prédio da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) em Santa Bárbara d’Oeste poderá ser vendido para pagamento de dívidas. O local faz parte da lista de imóveis que foram disponibilizados para o plano de recuperação judicial da Educação Metodista. A proposta ainda precisa ser aprovada pelos credores, compostos principalmente por trabalhadores.

O campus foi desativado em fevereiro deste ano por conta de dívidas. Atualmente, o local abriga o Hospital de Campanha de Santa Bárbara d’Oeste, em bloco cedido pela universidade à prefeitura.

“O campus Santa Bárbara d’Oeste faz parte da lista de imóveis que serão disponibilizados para o plano de recuperação judicial. Este imóvel está sendo avaliado (em relação ao valor). A Educação Metodista ainda vai conversar com a prefeitura sobre o Hospital de Campanha”, disse o grupo educacional. A prefeitura foi procurada na noite de ontem, mas não comentou.

Espaço lista de imóveis que foram disponibilizados para o plano de recuperação judicial da Educação Metodista – Foto: Ernesto Rodrigues / O Liberal

O plano de recuperação judicial, que prevê a consolidação das dívidas e apresenta uma proposta de pagamento, foi protocolado pela Educação Metodista na sexta-feira junto à Vara de Direito Empresarial, Recuperação de Empresas e Falências de Porto Alegre.

O plano prevê a venda de imóveis não utilizados em atividades educacionais para o pagamento das dívidas e garante que 90% dos credores trabalhistas receberão seus créditos integralmente.

A próxima etapa será a publicação do quadro geral de credores pelo Administrador Judicial. Na sequência, será realizada a Assembleia Geral de Credores para aprovação do plano.

A Educação Metodista teve o pedido de recuperação judicial aceito em maio deste ano, em uma tentativa de evitar a falência. As dívidas totais do grupo chegam a R$ 478 milhões, dos quais R$ 330 milhões têm origem trabalhista.

“O plano de recuperação judicial tem como objetivo assegurar a sustentabilidade da instituição, preservando a qualidade de ensino e os projetos e atividades sociais relevantes para a sociedade, como os atendimentos gratuitos nas áreas de saúde e direito. Esse é um plano sólido e objetivo, porque está baseado na venda de ativos imobiliários”, declarou o diretor financeiro da Instituição, Maurício Trindade.

A Educação Metodista conta com 11 colégios e seis instituições de ensino superior no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais. O grupo afirma que desde 2015 sofre com a redução de alunos. A situação se agravou com mudanças nas regras do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), com o cenário econômico dos últimos anos e com a pandemia.

Publicidade