Polícia Civil esclarece dois casos de estelionato registrados em Santa Bárbara

De acordo com os investigadores do 2º Distrito Policial, existe a possibilidade de haver mais vítimas pela região; suspeito foi preso no início do mês


Foto: Polícia Civil - Divulgação
Vítima registrou boletim de ocorrência apontando que havia vendido uma moto para o acusado, um homem de 36 anos, que pagou com um cheque

A Polícia Civil de Santa Bárbara d’Oeste esclareceu no dia 12 de agosto dois casos de estelionato envolvendo cheques furtados ou roubados. O autor do crime, no entanto, foi preso dias antes, em 1º de agosto, já que havia um mandado de prisão contra ele por outro estelionato cometido em 2014.

De acordo com o setor de investigação do 2º DP (Distrito Policial) de Santa Bárbara, responsável pelo caso, no começo deste mês uma vítima registrou boletim de ocorrência apontando que havia vendido uma moto para o acusado, um homem de 36 anos, que pagou com um cheque.

Entretanto, ao depositá-lo, o mesmo voltou por motivo de furto/roubo. A polícia foi até a casa do acusado, onde seu pai disse estar ciente da situação e entregou a motocicleta, que foi apreendida.

Depois, no dia 12 de agosto, outra vítima procurou a delegacia dizendo que tinha alugado uma casa para o mesmo homem, que lhe passou dois fólios de cheque como adiantamento, no valor R$ 2,5 mil. Dias depois, o suspeito procurou a vítima dizendo que precisava de dinheiro para fazer a mudança e sugeriu que o valor poderia ser abatido dos cheques.

A vítima acabou sacando de sua conta e entregou ao autor. Quando enfim depositou os fólios de cheque, os mesmos foram devolvidos pelo banco, também por furto/roubo.

De acordo com os investigadores do 2º DP, existe a possibilidade de haver mais vítimas pela região. A orientação é para que elas se encaminhem ao 2º DP para registrar a ocorrência. O endereço é Avenida da Indústria, 260, no Jardim Pérola.

PRISÃO. O suspeito foi preso no dia 1º de agosto por conta de um caso de estelionato cometido na mesma cidade em outubro de 2014. O denunciado pagou um despachante com um cheque fraudado de R$ 685 e havia um mandado de prisão contra ele.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora