12 de julho de 2024 Atualizado 19:15

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

SAÚDE

Piovezan anuncia implantação de UTI pediátrica com 10 leitos no Hospital Santa Bárbara

Vagas vão atender moradores da cidade e da região, segundo prefeito; serviço deve funcionar em 2025

Por Cristiani Azanha

24 de junho de 2024, às 16h50 • Última atualização em 24 de junho de 2024, às 22h46

O prefeito Rafael Piovezan ao lado do administrador do Hospital Santa Bárbara, Aparecido Leite, durante anúncio de UTIs pediátricas - Foto: Marcelo Rocha/Liberal

O Hospital Santa Bárbara terá 10 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) pediátrica. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (24) pelo prefeito Rafael Piovezan (PL). As vagas vão atender moradores da cidade e de outros municípios da região e serão administradas pela Cross (Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde), vinculada ao governo estadual.

A prefeitura investirá R$ 2 milhões em recursos próprios na implantação dos leitos, que ocorrerá em uma área de 366 metros quadrados no hospital. A previsão é de que a ala esteja pronta no segundo semestre de 2025.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Piovezan explicou que a construção ficará por conta da prefeitura e que a manutenção dos leitos deverá ser feita por meio de convênio entre os governos estadual e federal. Ele ainda citou o apoio do prefeito Chico Sardelli (PL).

“Estamos trabalhando junto com o prefeito de Americana nas articulações para conseguirmos o apoio necessário para o funcionamento o mais breve possível das novas vagas regionais”, destacou o prefeito.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

O provedor da Santa Casa, que administra o hospital, Aparecido Donizetti Leite, disse que o custo para a manutenção da nova UTI será de R$ 700 mil mensais, entre manutenção, medicamentos e equipes de saúde.

Segundo ele, atualmente, a unidade atende 95% de pacientes via SUS (Sistema Único de Saúde). “A UTI pediátrica será implantada na única ala que ainda não foi reformada. Será muito positivo para a nossa unidade, que terá melhores condições de atendimento à população”, explicou Leite.

Para o secretário municipal de Saúde, Marcus Pensuti, a implantação da unidade pediátrica foi uma escolha entre as medidas mais urgentes da cidade. De acordo com ele, a demanda para a UTI neonatal, para recém-nascidos com até 30 dias de vida, é menor.

“Temos uma urgência maior da UTI pediátrica, que é para pacientes com mais de 30 dias de vida. Santa Bárbara tem uma demanda estimada de seis vagas por mês da [UTI] pediátrica”, explicou Pensuti.

Hospital de Santa Bárbara é o único que atende SUS na cidade – Foto: Marcelo Rocha / LIBERAL

Hospital terá R$ 2,2 milhões em investimentos

Durante o anúncio nesta segunda-feira, o prefeito Rafael Piovezan divulgou ainda o investimento de R$ 2,2 milhões, entre recursos próprios e emendas parlamentares, na reforma de outros setores do hospital e em equipamentos, como novas mesas e focos cirúrgicos nas quatro salas do centro cirúrgico, 21 novas camas e colchões na UTI adulta, 18 novas camas e colchões na ala de enfermaria, 18 novos suportes de soro, 15 novas mesas de cabeceira, sete novas macas para transporte de pacientes, além de nova pintura no centro cirúrgico e na fachada do prédio.

Hospital Santa Bárbara terá usina de oxigênio

Uma usina de oxigênio será instalada no Hospital Santa Bárbara. De acordo com o prefeito Rafael Piovezan, o projeto tem custo estimado de R$ 2,7 milhões e os recursos serão captados junto ao Fundo Municipal do Idoso, gerido pelo Conselho Municipal do Idoso.

A ideia foi desenvolvida com base na usina do Hospital de Amor, de Barretos, que já está em funcionamento. “A proposta é desenvolver uma medida de consumo autossustentável que vai gerar economia ao próprio hospital, com a possibilidade de abastecer também a rede municipal com um custo mais baixo”, explicou o prefeito.

O provedor da Santa Casa, Aparecido Donizetti Leite, relatou que a unidade paga R$ 2,60, por metro cúbico de oxigênio, mas após o funcionamento da usina no próprio hospital, esse custo deve cair para menor que R$ 0,50.

Publicidade